(031) 3195-0580
4infra

5 termos simples de TI (que quem não é de TI não domina)

5 termos simples de TI (que quem não é de TI não domina)

Ao conversar com alguém da área da tecnologia, é quase impossível disfarçar a expressão de quem não está entendendo muito bem o papo, mesmo com o uso de termos simples de TI.

Todos os dias, novas tecnologias são expostas ao mundo, e junto delas, outros termos também são criados. Então, não se preocupe: mesmo quem trabalha nessa área há bastante tempo costuma se embaralhar às vezes.

Para os donos de empresas e gestores, que estão sempre à procura de meios para tornar o trabalho mais rápido e prático, o encontro de novas tecnologias, e seus termos aparentemente confusos, é inevitável.

As questões técnicas, tão habituais na rotina do profissional da tecnologia, podem nos confundir. Porém, algumas delas são bem mais fáceis de aprender do que imaginamos. Quer ver?

Criamos um pequeno dicionário com termos simples de TI para quem não é de TI, mas precisa lidar com eles todos os dias.

Antivírus

Vírus são programas instalados em seu computador, ou outro dispositivo eletrônico, sem que você tenha solicitado e/ou autorizado a ação. São programas sempre nocivos ao funcionamento da sua máquina. Uma vez instalados, podem transferir informações do seu aparelho para outro sem a sua autorização. 

Outra façanha dos vírus é o corrompimento de arquivos ou a destruição deles. Esse tipo de problema é adquirido ao clicar em emails de remetente duvidoso, na utilização de pendrives contaminados ou downloads de arquivos quebrados, entre outros.

Para proteger o equipamento de inconvenientes como esses é que usamos os programas de antivírus. Quando instalados, esses softwares nos alertam sobre o conteúdo duvidoso que estamos prestes a baixar, agindo para remover cada um deles, caso o download já tenha sido concluído. 

Hardware

Os hardwares são as peças que compõem o computador e/ou o faz executar as nossas coordenadas. Todo esse equipamento reunido dá à ferramenta o nome que é, à primeira vista, difícil de entender e pronunciar. 

Em resumo, tudo que necessita de ajuntamento de peças, encaixando-se entre si, para funcionar de modo computadorizado, pode ser considerado um hardware. Para se aprofundar neste tema, leia nosso artigo sobre hardwares e descubra se os da sua empresa vão bem ou estão lhe fazendo perder dinheiro.

Software

Já definimos o que é o ajuntamento de peças de um computador. Agora, é o momento de entender que, ao requerer uma ação no computador, seja a execução de um programa ou redirecionamento à uma página, estamos solicitando a tarefa diretamente ao software da máquina.

O softwares podem ser divididos em duas partes: sistemas e aplicativos. No primeiro, você utiliza seu computador ou dispositivo eletrônico e seus compartimentos de modo mais geral, como a checagem do armazenamento de arquivos.

Já a função do software de aplicativo é permitir o uso de modo específico em programas instalados no equipamento, como o editor de planilhas ou uma ferramenta de edição de imagens.

Workflow 

Essa palavrinha sonora, traduzida para o português como fluxo de trabalho, permite a automatização de algumas tarefas, poupando tempo e esforços. Em um negócio, o workflow permite que uma atividade seja repassada por toda a equipe de acordo com a função exercida individualmente.

Assim que alguém finalizar uma parte da tarefa, automaticamente, ela será encaminhada para o próximo colaborador, a fim de que ele também execute  sua parte naquele trabalho. 

Essa é uma prática de organização muito útil em escritórios de advocacia e agências de publicidade, por exemplo, onde um mesmo projeto envolve a colaboração de várias pessoas. 

Os benefícios desse tipo de prática podem ser associados à agilidade nos procedimentos e uma melhora na comunicação entre os funcionários. E o que a TI tem a ver com isso? Tudo, já que é por meio da tecnologia de informação que esses processos são criados e personalizados dentro das companhias.

Criptografia 

Apesar de parecer um assunto complicado, a criptografia é justamente um facilitador na comunicação pela internet. Trata-se de um conjunto matemático que cria códigos com os dados dos participantes daquela conversa, resguardando a confidencialidade da troca de mensagens.

Ao nos cadastrarmos em aplicativos de bate-papo, comprar online ou trocar e-mails, expomos nossos dados pessoais não apenas para aqueles sites, mas para as empresas de telecomunicação responsáveis pelo fornecimento da internet. 

Esse tipo de exposição facilita o roubo das informações que acreditávamos ser privadas. É por essa razão que a criptografia tornou-se valiosa, principalmente agora, em tempos onde a internet tem substituído os encontros presenciais, sejam eles profissionais ou pessoais.

Sua equipe de TI pode lançar mão da criptografia ao criar sistemas de acesso mediante senha ou autenticação em dois fatores. Em resumo, você não precisa saber os códigos matemáticos da criptografia para utilizá-los; só precisa entender como eles são valiosos na sua rotina.

Percebeu como é possível aprender alguns termos simples de TI em pouco tempo de leitura? No blog da 4Infra temos outros conteúdos como esse, que, além de ensinar um pouco mais sobre a linguagem da tecnologia, também alertam sobre a segurança dos dados da sua empresa na internet.

Quer saber como? É só clicar aqui.


8 de julho de 2020

Próximos Artigos
Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este artigo

Assuntos Relacionados
HDD e SSD: saiba a diferença e qual usar no seu servidor
30 de agosto de 2021
Entenda a importância do RTO e RPO
27 de agosto de 2021
Conheça as vantagens da Rede Social Corporativa e Intranet
25 de agosto de 2021
Ataque DDoS: saiba como proteger sua empresa!
23 de agosto de 2021
1 2 3 111
chevron-down