(031) 3195-0580
4infra

Acidentes com menos prejuízo: crie um plano de recuperação de desastres!

Acidentes com menos prejuízo: crie um plano de recuperação de desastres!

Todos os dias sofremos com o risco de que aconteçam imprevistos e erros. Falhas de software, ataques cibernéticos são contratempos, ligados a causas naturais, como também são provocados pela ação humana. Para administrá-los é fundamental o plano de recuperação de desastres. 

Indispensável para área de TI, o plano de recuperação de desastres é uma ferramenta importante para lidar com os problemas que acontecem na vida cotidiana de uma empresa. 

Acidente como a queda de energia ou erro de colaboradores, por exemplo, afetam o funcionamento da empresa, além de gerar perdas na produtividade. Observando esses cenários hipotéticos, é desenvolvido o plano de recuperação de desastres. 

Com origem ligada ao termo inglês Disaster Recovery Plan, também conhecido pela sigla DRP, o plano ajuda a empresa a lidar com acidentes diários de forma mais eficiente. O plano de recuperação de desastres tem o objetivo de minimizar impactos de um erro ou falha. 

Dessa forma, o plano propõe soluções que irão recuperar informações abaladas por um acidente  ou até mesmo propondo pausas para retomar as atividades. Com o DRP, a empresa consegue funcionar, mesmo quando há algum erro ou acidente, até voltar a normalidade. 

A partir do plano de recuperação de desastres, que apresentará um planejamento de ações, o negócio sofre menos impactos com as interferências que surgirem.

Como desenvolver um bom plano de recuperação de desastres em 3 passos

Roubos de dados, desastres naturais são contratempos e desafios que a sua empresa precisa estar preparada para lidar. Para que a empresa elabore ações mais efetivas com menos impactos negativos, elaboramos três dicas valiosas para a elaboração do plano de recuperação de desastres. 

1.Identifique os riscos e os impactos para a empresa

Antes de pensar nas ações, é importante compreender quais contratempos podem acontecer ao longo de um dia de trabalho. Para isso, é importante levar em consideração as áreas da empresa. 

A partir da compreensão dos departamentos que compõem o empreendimento, é possível delimitar os riscos que podem afetar as atividades diárias. Um caminho interessante para esse primeiro passo é pensar no que é fundamental para que aquela atividade aconteça. 

Um bom exemplo é imaginar situações hipotéticas e mensurar seus impactos. Se acontecer uma pane e a empresa perder dados relacionados às finanças do último ano, de que maneira isso impactará o setor financeiro? Quais práticas podem ajudar a contornar esse problema?

Além de compreender quais são os riscos, é importante avaliá-los. Dessa forma, podemos delimitar ações de recuperação que precisam ser priorizadas e o que será fundametal para o funcionamento do negócio. 

Nesse sentido, será possível definir quais ações são menos essenciais e quais causam menos danos para a empresa. Com isso, é definido o que pode ser deixado para um segundo momento.

2. Desenvolve uma política de continuidade

Sabe quando uma situação dá errado no trabalho, mas você continua cumprindo suas demandas? Isso faz parte da  política de continuidade da empresa!

O objetivo dessa ação é promover nos colaboradores da empresa o foco em permanecer cumprindo com as tarefas do dia, mesmo com contratempos. Assim, os colaboradores ficam cientes do que fazer no momento que ocorrer contratempos. 

3. Crie metas e estratégias para o plano de recuperação

Para além de pensar nas ações do plano, é importante criar metas que irão ajudar a mensurar e estimular prazos para ações. Para isso, existem dois indicadores que podem ajudar: RTO e RPO. Ambos os indicadores identificam recuperações prioritárias para a empresa e o tempo gastos pelas ações.

O Recovery Time Objective, também conhecido como RTO, ajuda a determinar o período que as ações do plano gastam até retornar às atividades normalmente. A contagem desse tempo acontece a partir da identificação do acidente. 

Em caso de desastres, o Recovery Point Objective, o RPO, observa o número de dados que são perdidos. Vale lembrar que o RPO indica um valor aceitável de perda. Outra questão importante é deixar as metas e objetivos apontados com clareza no plano. 

Após pensar nas metas e levantar quais são os riscos para cada setor e quais questões são prioritários, é possível desenvolver estratégias para o plano de recuperação. Para isso, é importante que essas ideias levem em consideração os recursos disponíveis no local.

4. Apresente o plano e sempre pense em formas de melhorá-lo!

Após desenvolver o plano de recuperação para desastres, com metas, objetivos e estratégias, é o momento de compartilhá-lo! Assim, todos os membros da empresa estarão preparados para os contratempos que podem surgir. 

Além de apresentá-lo, é importante revisar o que foi proposto e pensar no que é importante para que as ações sejam colocadas em prática. A partir disso, é possível delimitar recursos e ferramentas importantes para esse momento. 

É importante destacar que, de nada adianta desenvolver um plano que não é revisitado. Além do mais, o plano precisa ser revisado com uma certa frequência. A empresa pode passar com transformações e, essas mudanças, devem estar dentro do plano. 

Com essas dicas, será mais fácil desenvolver o plano de recuperação de desastres para sua empresa. Se nesse processo identificar as necessidades de auxílio de profissionais da área de TI, saiba que a 4Infra oferece serviços de consultoria até a terceirização do setor TI. 

Entre em contato com a nossa equipe e conheça outras soluções da área no nosso site! Fique por dentro das inovações tecnológicas no blog da 4Infra.

Próximos Artigos
Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este artigo

Assuntos Relacionados
HDD e SSD: saiba a diferença e qual usar no seu servidor
30 de agosto de 2021
Entenda a importância do RTO e RPO
27 de agosto de 2021
Conheça as vantagens da Rede Social Corporativa e Intranet
25 de agosto de 2021
Ataque DDoS: saiba como proteger sua empresa!
23 de agosto de 2021
1 2 3 111
chevron-down