Remoção da Microsoft Store no Windows 10/11 Pro via GPO com Script de PowerShell

Nesse artigo vamos explorar como desinstalar Microsoft Store no Windows 10/11 Pro usando uma combinação de GPO (Política de Grupo) e PowerShell.

Essa técnica é especialmente útil em ambientes corporativos, onde podemos obter uma maior segurança da rede corporativa ao impedir que o colaborador baixe qualquer tipo de aplicativo que estiver na loja da Microsoft. Otimizando recursos, aprimorando a segurança e melhorando a performance do sistema operacional.

Somos uma empresa especializada em Tecnologia da Informação.

Atendemos presencialmente as cidades de Belo Horizonte e região Metropolitana e atendimento remoto para Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Brasília.

Atuamos com soluções e serviços de ti personalizados e disponibilizamos profissionais capacitados para atuar in loco.

Para demais localidades, consultar viabilidade através do e-mail comercial@4infra.com.br.

Desinstalar Microsoft Store

Por que remover a Microsoft Store em ambientes corporativos?

A Microsoft Store permite que os usuários baixem uma variedade de aplicativos, sem a necessidade de permissões administrativas.

Isso inclui desde aplicativos de produtividade até jogos, o que pode causar desafios de segurança e gerenciamento.

Remover a Microsoft Store em ambientes corporativos é uma medida preventiva para garantir maior controle sobre a instalação de aplicativos.

Por que não consigo fazer isso de forma mais simples ?

Como já é conhecido por alguns, a Microsoft vem removendo funções que antes eram possíveis no Windows 7, 8 e 8.1 Pro, as deixando para as versões Education e Enterprise, exemplos seriam: configurar papel de parede na tela de bloqueio e agora a remoção da Microsoft Store, que foi introduzida pela primeira vez no Windows 8 lá em seu lançamento.

Até existe a GPO para ser ativada, mas ela não é aplicada devido as restrições que a Microsoft impôs nas versões 10 e 11 Pro, nessas versões seria somente pelo PowerShell ou Microsoft Intune, mesmo se tentar via chave de registro do Windows tem grandes chances de falhar.

Passo a passo de como desinstalar a Microsoft Store:

  1. Abra o PowerShell ISE:
    • Na primeira linha insira o comando: Set-ExecutionPolicy Unrestricted -Scope CurrentUser para permitir a execução do script de forma irrestrita.
    • Na linha seguinte, utilize o comando: Get-AppxPackage *Microsoft.WindowsStore* | Remove-AppxPackage para remover a Microsoft Store.
    • Clique em Arquivo e Salve o script no formato .ps1.
    • Copie o Script para uma pasta da rede que os usuários tenham permissão de leitura.
  2. Configuração via GPO:
    • Abra o Gerenciador de Políticas de Grupo no servidor de domínio.
    • Crie uma nova política de grupo, se necessário.
    • Navegue até: User Configuration > Policies > Windows Settings > Scripts (Logon/Logoff).
    • Selecione "Logon" e adicione um novo script usando powershell.exe como o nome do script e os parâmetros abaixo:
    • -noninteractive -executionPolicy Bypass -noprofile -file \\CAMINHODAREDE\PASTADAREDE\NOMEDOARQUIVO.PS1
    • Dê um OK na tela e feche o editor de politica de grupo para salvar a configuração.

Como Desinstalar Microsoft Store do Windows

  1. Teste e implementação:
    • Aplique a GPO nas máquinas dos usuários.
    • Execute o comando gpupdate /force, seguido de logoff e logon nas máquinas dos usuários para garantir que a remoção seja concluída com sucesso.

Com essas etapas, você estará apto a remover eficientemente a Microsoft Store em ambientes corporativos, proporcionando um ambiente mais seguro e controlado.

Em caso de dúvidas ou para saber mais sobre otimizações de TI, consulte demais artigos em nosso blog.

A 4infra está comprometida em compartilhar conhecimento contribuindo com o desenvolvimento da pessoas com foco na motivação através do aprendizado.

Contato e informações sobre a 4infra

(31) 3195-0580

comercial@4infra.com.br

Acesse nosso site www.4infra.com.br para saber mais sobre nossos serviços.

Estamos Localizados em Belo Horizonte/MG na Rua Marechal Foch, 41, Pilotis no Bairro Grajaú.

Nosso horário de funcionamento é de segunda a sexta de 08:00hs às 18:00hs

Hashtags:

#microsoftstore #windows10 #windows11

A Tecnologia da Informação (TI) é um setor que muda muito, o tempo todo. Afinal, a TI depende das inovações, externas e da própria área, para que suas operações sejam constantemente otimizadas. Os profissionais que atuam com tecnologia da informação são essenciais no funcionamento das organizações modernas – especialmente os técnicos em TI.  (mais…)

Se há uma profissão que se destaca na era digital, é a do Tecnólogo em Tecnologia da Informação (TI). Esse profissional polivalente desempenha um papel crucial na sociedade moderna, moldando o cenário tecnológico e impulsionando a inovação em diversas áreas. Mas, antes de entrar nesse assunto, precisamos compreender o perfil desse profissional.  (mais…)

A tecnologia molda o mundo de maneiras inimagináveis. Por trás de cada inovação há a mente brilhante de um engenheiro de software. Se você já se perguntou sobre essa profissão dinâmica, este artigo é para você.  (mais…)

A Tecnologia da Informação (TI) é uma das áreas que mais se desenvolve e evolui rapidamente na sociedade moderna. Com a crescente dependência de soluções digitais em diversos setores, as profissões na área de TI tornaram-se mais relevantes do que nunca.  (mais…)

À primeira vista, o nome pode soar até legal… engenharia social não seria algo para, sei lá, nos ajudar a construir pontes entre pessoas e conviver da melhor forma? É… não. Pra falar a verdade, o conceito significa o extremo oposto – e tem muito a ver com ameaças cibernéticas em constante evolução. (mais…)

Nesse artigo, vamos abordar o que é um sistema de arquivos e sua importância no desempenho e segurança de dados.

A seleção cuidadosa dessas estruturas fundamentais não apenas impacta diretamente no operacional, na preservação da integridade e confiabilidade das informações digitais.

Somos uma empresa especializada em Tecnologia da Informação.

Atendemos presencialmente as cidades de Belo Horizonte e região Metropolitana e atendimento remoto para Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Brasília.

Atuamos com soluções e serviços de ti personalizados (outsoursing) e disponibilizamos profissionais capacitados para atuar in loco.

Para demais localidades, consultar viabilidade através do e-mail comercial@4infra.com.br.

Sistema de arquivos | File System

Sistema de arquivos | File System

O que é um sistema de arquivos?

Um sistema de arquivo, também conhecido como file system, é um conjunto de regras e estruturas utilizado para organizar, gerenciar e armazenar informações em HDDs, módulos SSDs, CDs, DVDs, pen drives e cartões de memória. Essas regras são fundamentais para determinar como os dados serão gravados no dispositivo de armazenamento.

Existem diversos sistemas de arquivos, cada um desenvolvido para atender a diferentes ambientes, sistemas operacionais, dispositivos, necessidades e plataformas.

Alguns exemplos de sistemas de arquivos comuns incluem o FAT32, NTFS, ReFS e exFAT, utilizados por dispositivos Windows, enquanto o HFS+ e APFS são empregados no macOS. Já em ambientes Linux, encontramos sistemas como ext2, ext3, ext4 e btrfs.

Os sistemas de arquivo desempenham um papel crucial no gerenciamento da escrita, armazenamento e recuperação de dados. Eles mantêm informações detalhadas, também conhecidas como metadados, sobre a localização dos dados nos dispositivos de armazenamento e como o espaço livre será utilizado.

Essas regras são essenciais não apenas para a organização eficiente dos dados, mas também para preservar a integridade das informações. Isso ocorre porque elas supervisionam o processo de leitura e gravação de dados, garantindo um funcionamento consistente e seguro.

Pra que serve um sistema de arquivos?

Organização Eficiente de Dados: O sistema de arquivos organiza os dados em uma estrutura hierárquica, incluindo arquivos, pastas e diretórios. Essa organização simplifica a gravação, localização e recuperação de dados, contribuindo para a criação de uma estrutura organizacional que o sistema operacional pode entender.

Gestão Inteligente do Espaço de Armazenamento: É o file system que monitora quais áreas do dispositivo de armazenamento estão em uso e quais estão disponíveis. Quando arquivos são criados, modificados ou excluídos, o sistema aloca ou libera espaço conforme necessário. Além disso, lida com a desfragmentação, otimizando a disposição dos dados para aprimorar o desempenho e a eficiência ao acessar informações.

Controle de Acesso e Permissões: O sistema de arquivos gerencia o acesso aos dados e diretórios, determinando permissões para leitura, gravação e modificação com base nas configurações específicas de usuários e aplicativos. Também encarrega-se da aplicação de níveis de segurança, incluindo criptografia, para salvaguardar os dados e garantir a privacidade.

Integridade dos Dados e Recuperação de Erros: Monitora continuamente a integridade dos dados e implementa mecanismos de recuperação de erros. Técnicas como journaling ou copy-on-write rastreiam as mudanças, permitindo a recuperação de versões anteriores em caso de falhas ou corrupção de dados.

Gestão de Metadados: O sistema de arquivos administra os metadados, informações extras sobre arquivos e diretórios, como datas de criação e modificação, tamanho, permissões de acesso e propriedades. Esses metadados são essenciais para os usuários encontrarem e gerenciarem arquivos, e o sistema operacional os utiliza para realizar diversas tarefas, incluindo backups e indexação de dados.

Quais sistemas de arquivos são mais utilizados em servidores?

Quando se trata de servidores e storages, uma variedade de sistemas operacionais está em jogo, cada um com seu próprio sistema de arquivos. Entre os mais amplamente utilizados estão:

Ext4 (Fourth Extended Filesystem): Uma evolução do Ext3, o Ext4 é um sistema de arquivos popular para servidores Linux. Reconhecido por suportar arquivos grandes, oferece alto desempenho e uma maior resistência à corrupção de dados.

XFS: Desenvolvido pela SGI, o XFS é um sistema de arquivos de 64 bits voltado para alto desempenho, especialmente projetado para escalabilidade e paralelismo. É comumente adotado em servidores e storages Linux devido à sua eficiência e habilidade em lidar com grandes volumes de dados.

Btrfs (B-tree File System): Projetado para Linux, o Btrfs destaca-se por proporcionar escalabilidade aprimorada, tolerância a falhas e flexibilidade para servidores e soluções de armazenamento em disco. Oferece recursos como instantâneos, deduplicação e compressão de dados, sendo uma escolha adequada para aplicações corporativas que demandam essas funcionalidades.

ZFS (Zettabyte File System): Desenvolvido pela Sun Microsystems e mantido pela comunidade OpenZFS, o ZFS é ideal para ambientes baseados em FreeBSD, Solaris e outros servidores e estações Linux. Sua combinação de gerenciamento de volume e sistema de arquivos proporciona recursos avançados, incluindo snapshots, clones, deduplicação e compressão.

NTFS (New Technology File System): O NTFS é o sistema padrão para soluções Microsoft e é comumente adotado em servidores Windows. Destaca-se por oferecer suporte a tamanhos de arquivo e volume grandes, controle de acesso granular e journaling para maior confiabilidade.

ReFS (Resilient File System): Também desenvolvido pela Microsoft, o ReFS visa proporcionar maior resiliência à corrupção de dados e aprimorar o desempenho em servidores corporativos. Este sistema de arquivos é o sucessor do NTFS e geralmente é utilizado em conjunto com o Storage Spaces no Windows Server.

HFS+ (Hierarchical File System Plus): O HFS+ é o sistema padrão para servidores macOS e dispositivos de armazenamento Apple. Além de oferecer suporte a tamanhos de arquivo e volume grandes, apresenta recursos como journaling e compressão, tornando-o essencial para o ecossistema da Apple.

Conclusão

Neste artigo, exploramos o conceito de sistemas de arquivos e sua aplicação prática. Aprofundamos nosso entendimento nos sistemas predominantes em servidores, destacando a influência direta que a escolha do sistema de arquivos exerce sobre a experiência de armazenamento.

Para concluir, é evidente que a escolha cuidadosa de um sistema de arquivos otimiza a segurança e melhora o desempenho do armazenamento de dados.

Essa escolha melhora a experiência do usuário, e desempenha um papel fundamental na integridade e na acessibilidade de informações.

Contato e informações sobre a 4infra

(31) 3195-0580

comercial@4infra.com.br

Acesse nosso site www.4infra.com.br para saber mais sobre nossos serviços.

Estamos Localizados em Belo Horizonte/MG na Rua Marechal Foch, 41, Pilotis no Bairro Grajaú.

Nosso horário de funcionamento é de segunda a sexta de 08:00hs às 18:00hs

Esse artigo é um guia detalhado para instalar e configurar o software de assinatura digital Shodo no Windows. O Shodo é usado para assinar documentos digitais. O artigo aborda a instalação do Shodo, configuração para certificado A3 e A1, e teste de assinatura em navegadores como Firefox e Chrome. Com instruções detalhadas e capturas de tela, o artigo auxilia os usuários a instalar e configurar corretamente o Shodo para assinar documentos no PJe.

MANUAL INSTALAÇÃO SHODO

Sumário

  1. INSTALAÇÃO DO SHODO
  2. CONFIGURAÇÃO DO SHODO PARA CERTIFICADO A3
  3. CONFIGURAÇÃO DO SHODO PARA CERTIFICADO A1
  4. TESTE DE ASSINATURA NO MOZILLA FIREFOX
  5. TESTE DE ASSINATURA NO GOOGLE CHROME
  6. VERIFICAR VERSÃO INSTALADA

1.INSTALAÇÃO DO SHODO

Para instalar a versão mais recente do assinador SHODO, vá na tela de login do PJe e clique sobre as palavras Modo de Assinatura, na área indicada abaixo:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

Na tela que se abre existem opções de instalação para diversos sistemas operacionais, bem como o lembrete de que e necessário o Java estar atualizado em seu equipamento para o SHODO funcionar corretamente. Para garantir uma boa instalação, é melhor começar pela instalação do Java, seguida pela instalação do assinador SHODO.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

A instalação do Java é padrão, devendo ser o Java atualizado para a última versão disponível. A seguir, ao clicar na opção de instalação do SHODO para o Windows, aparecerá uma janela como a seguinte. Clique sobre Salvar Arquivo:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

Clique a seguir no canto superior direito de seu navegador, para ver se o download já terminou:

 

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

Se ele já estiver com o status de Concluído, pode clicar sobre o arquivo para instalar o assinador:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

Dependendo de sua versão de Windows e atualização de sua configuração, pode aparecer uma janela de alerta como a mostrada abaixo. Caso isso aconteça, simplesmente clique em OK para prosseguir com a instalação.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A seguir o Windows apresentará a mensagem abaixo; clique em Mais informações e, depois, em Executar mesmo assim:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

Por segurança, o Windows irá confirmar ainda mais uma vez a autorização para a instalação do programa. Clique em Sim:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

Isto feito, aparecerá uma janelinha pedindo para seu computador ser reiniciado. Recomendamos que feche todos os programas, gravando as informações antes de reiniciar seu computador. Clique como indicado abaixo, em Sim ou Yes:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

Após a reinicialização de seu computador, agora é o momento de configurar o Shodo.

Download alternativo do Shodo: https://pje.trt8.jus.br/shodo/

2.CONFIGURAÇÃO DO SHODO PARA CERTIFICADO A3

O processo de instalação do SHODO já deixa configurado o assinador para a grande maioria das situações, mas se for necessário verificá-las ou alterá-las, basta fazer o procedimento descrito aqui. Em alguns casos pode ser necessário configurar o SHODO diferente deste padrão; estes casos serão abordados mais adiante, no tópico Casos Especiais.

Para configurar o SHODO, vá no ícone próximo ao relógio do Windows e clique com o botão direito do mouse sobre o ícone, escolhendo desta vez a opção Configuração:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

Deve ser aberta uma janela com 3 abas, como se vê abaixo: Solicitar PIN, Certificado A1 e Mecanismo. Na primeira aba, Solicitar PIN, as opções não geram erros de acesso, podendo ficar selecionada tanto a opção Sempre como a opção Apenas confirmação. A opção Sempre fará com que a cada assinatura seja pedida a informação de PIN do certificado digital; a opção Apenas confirmação pedirá o PIN apenas a primeira vez que ele for utilizado no dia, nas próximas vezes será pedida apenas a confirmação de um botão de Ok, sem a necessidade de reinserir o PIN.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na segunda aba, Certificado A1, o padrão é deixar desmarcada a opção Utilizar Certificado Tipo A1, e vazio o campo abaixo, Arquivo de Certificado A1, sem nada selecionado:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na terceira aba, Mecanismo, o mais comum é deixar selecionada a opção Forçar MSCAPI. Mas atenção: em alguns casos, dependendo das configurações de seu computador, pode ser necessário alterar a opção aqui para Melhor Esforço. Ou seja, caso após a configuração o SHODO ainda não funcione com a opção de Forçar MSCAPI, volte aqui e experimente mudar para Melhor Esforço. Não esqueça de dar Ok ao final para as configurações surtirem efeito.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pronto, seu assinador SHODO está configurado e pronto para ser usado no PJe. Não esqueça de selecionar o assinador SHODO na opção Modo de Assinatura na tela de acesso ao PJe.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

3.CONFIGURAÇÃO DO SHODO PARA CERTIFICADO A1

Se você adquiriu um certificado digital do tipo A1, daqueles que são instalados em seu computador ao invés de virem num cartão ou token parecido com um pen drive, você precisa seguir os seguintes passos. Primeiro, vá para as telas de configuração do SHODO, clicando com o botão direito do mouse sobre o ícone do SHODO próximo ao relógio do Windows e selecionando a opção Configuração:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

A seguir, vá para a aba Certificado A1, selecione a opção Utilizar Certificado Tipo A1 e clique em Selecionar. Na janela que se abrirá, encontre o certificado digital do tipo A1 armazenado no disco de seu computador. Este arquivo do certificado estará em lugares diferentes de acordo com a autoridade certificadora que o emitiu, em caso de dúvidas neste ponto entre em contato com os emissores do certificado. Não esqueça de dar Ok ao final para a configuração ser gravada em seu computador.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

4.TESTE DE ASSINATURA NO MOZILLA FIREFOX

Para verificar que o SHODO está corretamente instalado e configurado, vamos fazer o procedimento de teste de assinatura.

Para isso, basta abrir uma nova aba em seu Mozilla Firefox e digitar nela o endereço https://127.0.0.1:9000. Na tela de boas-vindas do SHODO selecione a opção Teste de Assinatura:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

Na próxima tela, no campo Texto para assinar, escreva qualquer coisa. Não mude o campo Tipo de assinatura, deixe em modo Texto mesmo. Clique por fim no botão vermelho, Assinar. O texto inserido acima aparecerá embaralhado na parte inferior da tela. Isso significa que seu SHODO está pronto para ser usado tanto para o acesso ao PJe como para todas as assinaturas de documentos que sejam necessárias dentro do sistema.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

5.TESTE DE ASSINATURA NO GOOGLE CHROME

Para verificar que o SHODO está corretamente instalado e configurado, vamos fazer o procedimento de teste de assinatura.

Para isso, basta abrir uma nova aba em seu Google Chrome e digitar nela o endereço https://127.0.0.1:9000. Na tela de boas-vindas do SHODO selecione a opção Teste de Assinatura:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

Na próxima tela, no campo Texto para assinar, escreva qualquer coisa. Não mude o campo Tipo de assinatura, deixe em modo Texto mesmo. Clique por fim no botão vermelho, Assinar. O texto inserido acima aparecerá embaralhado na parte inferior da tela. Isso significa que seu SHODO está pronto para ser usado tanto para o acesso ao PJe como para todas as assinaturas de documentos que sejam necessárias dentro do sistema.

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

6.VERIFICAR VERSÃO INSTALADA

Para funcionar bem com o PJe, o assinador SHODO precisa estar instalado em sua última versão e corretamente configurado. Caso você verifique que o SHODO está desatualizado em seu computador, instale a versão mais recente seguindo os itens "B" e "C" destas instruções.

1º Método: a versão de seu programa assinador SHODO pode ser verificada clicando na seta para cima da opção “Mostrar ícones ocultos” próximo ao relógio do Windows, geralmente no canto inferior direito de sua tela. Uma janelinha vai se abrir mostrando diversos ícones de programas carregados na memória do Windows. Simplesmente pare o mouse sobre o ícone do SHODO e aparecerá a informação da versão instalada:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

2º Método: outra forma de verificar a versão de seu assinador SHODO é clicando com a direita sobre o ícone do SHODO observado acima, e a seguir clicar na opção Status:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

Se o SHODO estiver instalado e funcionando (ainda que desatualizado), deve ser aberta uma tela de boas-vindas do assinador SHODO. Selecione nesta tela a opção Informações:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao clicar em Informações abre-se nova tela, com um botão vermelho bastante chamativo, onde se lê "Atualizar". Clique nele e, dependendo da configuração de seu SHODO, dê ok ou entre seu PIN, o que for solicitado. Ao fazer isso, será informado logo abaixo a versão do assinador SHODO instalado:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

 

 

 

 

3º Método: finalmente, uma terceira forma de verificar a versão instalada de seu assinador SHODO é indo no Painel de Controle do Windows, na opção Programas e Recursos. Observe a linha do assinador SHODO, lá também aparece a versão instalada:

Como configurar o Shodo, seu guia definitivo

 

 

 

#Shodo #CertificadoDigital #AssinaturaDigital #DocumentosEletronicos #Tecnologia #SegurancaDigital #AssinaturaEletronica #DocumentosDigitais #AssinaturaDigitalizada #AssinaturaEletronicaSegura #certificadoa1 #certificadoa3

Não adianta negar: todo mundo tem um navegador favorito para executar as tarefas do dia a dia.

Boa parte desses programas possuem funcionalidades semelhantes que auxiliam na interação com as páginas da web. Porém, na hora escolher, as empresas precisam considerar aqueles que oferecem melhor segurança e privacidade.

Em se tratando de ambientes virtuais, em que a incidência de ataques e crimes cibernéticos alcançou números exorbitantes, um bom navegador deve manter os dados protegidos.

Dessa forma, o navegador será capaz de evitar que pessoas mal-intencionadas fiquem de olho em suas atividades.

Afinal, nem todos os navegadores são confiáveis e proporcionam a segurança essencial para o meio corporativo. Por isso, é importante conhecer os mais seguros e saber como optar o melhor para sua empresa.

(mais…)

Muitas empresas se perguntam por que ter uma Política de TI, acreditando que ela não viável ou mesmo necessária para o andamento do negócio. Porém, a falha de muitos gestores é exatamente não perceber que ter uma é a solução para diversos problemas operacionais.

Seja com os colaboradores operando no ambiente de trabalho, em home office ou em modalidade híbrida, a Política de TI é uma estratégia capaz de fazer com que exista um padrão de uso e de controle das tecnologias.

Dessa forma, além da empresa ganhar com vários benefícios, é possível ter fluxos de trabalho mais organizados na utilização das tecnologias, tanto quanto obter otimização do cotidiano.

(mais…)

chevron-down