(031) 3195-0580
4infra

Na hora de decidir qual hardware de memória é a melhor opção para  sua empresa pode surgir seu primeiro dilema. Afinal, quem atenderá suas demandas, o HDD ou o SSD? Para te ajudar a entender a diferença entre os dois sistemas, vamos apresentar as funcionalidades de cada servidor. 

Antes de qual será usado, é importante ter em mente o que significa cada uma dessas siglas. O HDD é o Hard Disk Drive, já o SSD é a abreviação de Solid States Drive. Ambos os servidores atuam no armazenamento de dados.

HDD e SSD: como funciona 

Traduzido como unidade de disco rígido, o Hard Disk Drive é um modelo antigo criado em 1956. Nesse dispositivo, o processo de armazenamento utiliza pratos mecânicos e um cabeçote móvel. A partir da rotação dos discos metálicos, o braço móvel do HDD realiza a leitura e gravação dos dados.

A comunicação entre o computador e unidade de disco rígido pode usar dois modelos de transferência de dados: o Serial AT Attachment (SATA) e o Serial Attached SCSI (SAS). Enquanto o SATA possui mais capacidade de armazenamento, o SAS tende a ser mais confiável e rápido.

Devido a essas características, a aplicação desses modelos acontecem de duas formas diferentes. O SATA se detscada  em computadores e o SAS em servidores. 

Já o Solid States Drive armazena os dados em chips de memória, que são acessados de forma imediata. Para entender como funciona a memória SSD, preciso destacar como funciona seu processamento. A unidade de estado sólido possui vários chips que estão interligados com a memória flash.

Com tecnologia de memória semelhante ao pen-drive, a instalação os chips de SSDs acontece na placa-mãe de um sistema. Isso pode acontecer a partir de uma caixa adaptável no notebook ou com cartão PCI Express. 

Devido a essa característica do SSD, ele possui mais velocidade se comparado ao HDD. Um ponto em comum entre os dois tipos é a memória não-volátil. Ou seja, diferente da memória RAM, os dados de armazenamento na unidade não somem após a máquina ser desligada. 

Depois entender como funcionam os dois servidores de armazenamento, vamos te apresentar algumas características que são vantagens e desvantagens para cada opção.

Velocidade e custo

No momento de escolher qual dos servidores você usará na sua empresa, é preciso levar em consideração quais são as prioridades naquele momento. Para quem deseja mais velocidade ou um custo mais baixo, vamos apresentar um comparativo. 

Em relação ao custo, de forma geral, os servidores HDDs possuem um preço mais acessível em relação ao SDD. Enquanto o custo médio de cada gigabyte no SDD é, em média US$0,20, o HDD apresenta um valor de US$0,03 por gigabyte. 

Entretanto, se compararmos aspectos ligados à velocidade, o SSD sai na frente. O  Solid States Drive é bem mais rápido que o HDD. O servidor se destaca, principalmente, em operações sequenciais de leitura/gravação. 

Ao mover um arquivo maior, como um filme , o SSD normal  tem velocidade de MB por segundo de 500 MB/s. Já os HDDs mais antigos, podem fazer esse mesmo processo de copiar o arquivo com a velocidade de  30–150 Mb/s.

Em outros processos como ligar o computador, o SSD também possui velocidades superiores ao HDD. Portanto, se a necessidade do momento é agilidade, os SSDs são uma boa opção!

Capacidade de armazenamento

Se no momento a demanda para a empresa é por armazenamento, o HDD é uma boa opção para investir. Apesar dos avanços em relação à memória dos SSDs, o servidor ainda possui uma capacidade baixa se comparado com Hard Disk Drive. 

Um bom exemplo é analisar as opções de memória disponíveis no mercado para cada um dos servidores. Enquanto o HDD possui modelos com variações de 500GB a 2TB, no modelo SSD as opções disponíveis vão de 120GB a 1TB. 

Ainda no HDD, é possível encontrar modelos com 10 TB. Entretanto, esse modelos possuem um custo de aquisição muito mais alto. 

Depois de conhecer as vantagens de cada modelo, é o momento de escolher qual servidor usar na sua empresa. Caso tenha necessidade da consultoria de uma equipe de TI, entre em contato com a 4infra!

Uma boa comunicação é fundamental para as empresas que desejam mais sucesso nos negócios. Justamente por isso, a escolha da rede de comunicação entre as empresas faz toda a diferença. Hoje, dois sistemas de comunicação empresarial são muito usados por usuários: a Rede Corporativa e a Intranet. 

Para compreender as vantagens de desvantagens de cada um e saber qual é o ideal para a sua empresa, continue lendo essa publicação. Antes de compará-las, é importante entender a atuação de cada rede.

Como funciona a Intranet e a Rede Corporativa

A Intranet é um tipo de rede exclusiva, ou seja, apenas colaboradores de uma empresa específica conseguem acessar esse sistema. Em alguns casos, a rede é liberada apenas para computadores registrados pelo empreendimento. 

Dessa forma, uma das principais características dessa rede é o fato de ser restrita. Portanto, apenas um grupo ou parcela específica do negócio consegue acessá-la. 

Ou seja, a Intranet é como uma internet particular. Nela, acontece o armazenamento de documentos e informações, além de também ser um ambiente onde há troca de dados e arquivos. 

Já a Rede Social Corporativa funciona como uma plataforma voltada para comunicação interna dos funcionários de forma mais vertical. Semelhantes às redes sociais, seu objetivo é unir pessoas que possuam algo em comum. 

Dessa forma, a Rede Social Corporativa é baseada na interação, que possui a finalidade de tornar as conexões dentro do ambiente de trabalho mais fáceis. Por isso, nesse ambiente os colaboradores conseguem se conectar com diversas pessoas. 

Ou seja, os funcionários que fazem parte dessa rede corporativa conseguem entrar em contato com colegas de trabalho e fornecedores. Em alguns casos, é também possível entrar em contato com clientes.

Conheça as vantagens de cada rede

Cada um dos sistemas de comunicação apresenta vantagens. Para escolher que tipo de comunicação sua empresa irá adotar, é importante levar em consideração as dinâmicas de trabalho do negócio. 

Por que usar a Intranet? 

Como já foi dito anteriormente, a Intranet possui um sistema semelhante à Internet e, isso se estende até a arquitetura aberta. Devido a essa característica, nesse sistema de comunicação o usuário consegue publicar dados muito antigos da organização. 

Além disso, vale destacar que a Intranet utiliza a linguagem universal da web, o HTML. Por isso, é possível acessá-la de forma fácil em diferentes sistemas operacionais, como o Mac ou o Windows

A digitalização de documentos importantes é um dos grandes avanços que a Intranet proporciona. Além de ser mais ecológico e evitar o uso excessivo de papel, no sistema da empresa o usuário consegue armazenar documentos. 

O sistema amplia o compartilhamento de informações ao permitir diferentes formatos de arquivos. Na Intranet podem ser salvo textos, imagens, vídeos e áudios. Além disso, documentos podem ser atualizados dentro do sistema. 

Assim, uma das principais vantagens é o armazenamento de informações importantes da empresa, o que facilita a comunicação entre setores. 

Por que usar a Rede Social Corporativa?

Sistema mais amplo, a rede social corporativa possibilita a adição de diversos setores e até filiais de outras cidades em um mesmo espaço. Dessa forma, grandes corporações que atuam em várias partes do país, por exemplo, conseguem manter contato. 

Além disso, a rede impacta de forma positiva ao diminuir o volume de reuniões da empresa. As pautas, por exemplo, podem ser discutidas dentro da rede em fóruns de discussão. Essa característica melhora aspectos ligados à produtividade e otimização do tempo. 

Outra redução que esses espaços de interação proporciona é em relação a troca de e-mails. Em vez de enviar vários e-mails para solucionar um problema, por exemplo, os colaboradores podem pensar em ações práticas no correio eletrônico. 

Hoje, com a pandemia, o trabalho remoto aumentou. A rede social corporativa também traz benefícios para esses sistema de trabalho. Nela, superiores conseguem entrar em contato com funcionário de qualquer lugar de forma interativa. 

Nesse mesmo espaço, as empresas podem adicionar os clientes. Esse processo agiliza a troca de informações sobre um projeto ou até mesmo proporciona um espaço mais rápido para os clientes solicitarem alterações, por exemplo. 

Essa comunicação com o cliente pode também ser uma forma de fechar contratos. Com um diálogo mais direto, o consumidor pode até mesmo ser fidelizado. 

De forma geral, cada um dos sistemas apresentam inúmeras vantagens para as empresas. Para escolher qual sistema adotar na empresa, é importante levar em consideração quais são as demandas atuais de comunicação da empresa. 

Uma estratégia que pode ajudar o seu negócio a fazer uma boa escolha e ter o contato com profissionais da área da tecnologia da informação. A 4infra te ajudará a fazer a escolha certa nesse momento. Entre em contato com nossa equipe e saiba mais!

Problemas na conexão ou erros no sistema e no funcionamento da plataforma são contratempos comuns para a área de tecnologia da informação. Para lidar com esses transtornos, profissionais da área podem aplicar o  troubleshooting. 

Traduzido como “solução de problemas”, o conceito está relacionado a um conjunto de práticas que possui o objetivo de corrigir possíveis falhas na rede.  Essa ação é uma ferramenta que ajuda o profissional de TI a lidar com as ocorrências.

Dessa forma,  o troubleshooting envolve a resolução de ocorrências que afetam a infraestrutura de computadores e sistemas. O termo também está relacionado a problemas em produtos e serviços da rede. 

Como funciona o Troubleshooting?

Como já mencionamos, o conceito está relacionado a um conjunto de práticas que buscam solucionar falhas ou bugs. Seu objetivo é encontrar a raiz de uma problema. Dessa forma, o troubleshooting é como um esquema de ações responsável por orientar o TI.

Ele é como uma bússola que aponta para falhas e ajuda o profissional a corrigir o erro e retomar o funcionamento. Quando há uma falha na rede de conexão do escritório, por exemplo, esse recurso é usado para encontrar o que está atrapalhando esse processo.

A partir do diagnóstico, o profissional determina as ações para retomar o funcionamento. Entretanto, nem sempre esse processo é tão simples quanto parece. A resolução de falhas envolve, em primeiro lugar, o problema, o diagnóstico e, por último, o reparo. 

Otimização de tempo 

O problema é primeiro passo para a solução. A partir dele o profissional consegue mensurar o tempo que irá demorar para resolvê-lo. Além disso, nesse momento o profissional leva em consideração os custos das operações para o negócio.

Após encontrar o problema, o TI irá desenvolver o diagnóstico, fase que analisa o que está atrapalhando o funcionamento. Em seguida, é o momento de solucionar o erro com ações que condiz com a falha que foi encontrada. 

Para reduzir esse processo, empresas têm investido no Application Performance Management. Também conhecida APM, a ferramenta atua no monitoramento de aplicações, o que ajuda, por exemplo, a identificar os problemas de uma rede. 

Dessa forma, a APM reduz o tempo do troubleshooting, além de torná-lo mais eficaz. Isso porque os consultores de TI serão responsáveis por pensar em formas de resolver o problema e restaurar o sistema. 

Resolução de problemas: o que atrasa e agiliza

No processo de identificar e solucionar um problema, alguns dados e informações são capazes de otimizar ou até mesmo atrasar. Para agilizar esse processo, alguns pontos do sistema precisam ser examinados. 

Durante a análise de códigos, logs e silos, por exemplo, é fundamental ter uma equipe voltada para resolução ágil de falhas e bugs. Uma estratégia de análise para diminuir o tempo gasto na análise do erro é o log, um tipo de arquivo que registra tudo o que acontece no software.

Nele, você encontra informações de operações do sistema, como também dados de bugs que aconteceram nesse processo. Nesse momento, a APM é uma ferramenta que ajudará a compilar dados importantes do log. 

Além do log, outro agente que aparece na solução de problemas são os silos, responsável por armazenar dados de uma determinada área. Ou seja, os silos separam as informações por áreas como o setor administrativo e o financeiro. 

Além disso, os silos não possuem interconexões entre si, o que torna necessário analisar cada um para encontrar a causa do problema. Por conta dessa característica, os silos são agentes que tornam o processo de troubleshooting mais demorado.

Com essa publicação, você conheceu algumas informações básicas relacionadas ao processo de resolução de erros e bugs no sistema. Para tornar esse processo ainda mais rápido, é importante ter uma equipe qualificada para o trabalho. 

A 4Infra atua na área de consultoria de TI com suporte remoto e presencial. Conheça nossas soluções e entre em contato aqui.

 O que é DRaaS

 Para que você saiba o que é DRaaS, neste artigo falaremos dos princípios básicos desta técnica de computação, as vantagens e desvantagens do DRaaS, as soluções para pequenas emprenas e, além disso, falaremos também sobre os benefícios do DRaaS e porquê ter um na sua empresa.

 

Deste modo, podemos dizer que o Disaster Recovery, ou DRaaS, é uma solução que tem como objetivo garantir a proteção da infraestrutura de TI da empresa garantindo a continuidade do negócio após possíveis falhas. Portanto, em relação à questão de o que é DRaaS, essa técnica garante à empresa um ambiente de trabalho secundário.

 

Adicionalmente, o plano de Disaster Recovery é um documento escrito que fala sobre as políticas e os procedimentos etapa por etapa, além das responsabilidades para recuperar os sistemas de TI e backup das organizações. Neste sentido, com a aplicação de o que é DRaaS, o ambiente de TI da empresa pode operar normalmente quando algum imprevisto acontece.

 

O que é Disaster Recovery DRaaS?

 

Agora que já sabemos um pouco mais sobre DRaaS, vamos falar neste tópico sobre os princípios básicos do plano de Disaster Recovery: ele se trata de um BCP, ou Business Continuity Plan, e é caracterizado como um sub-componente deste plano de continuidade das empresas.

 

Entretanto, o que é DRaaS realmente? Uma vez desenvolvido o BCP, o Disaster Recovery deve ser testado para garantir que o time de TI possa recuperar totalmente os sistemas de TI da organização referente ao tipo de “desastre” enfrentado durante a aplicação destes procedimentos.

 

Portanto, já imaginou como é importante ter um plano DRaaS na sua empresa? Pois bem, esta técnica permite que o seu ambiente de TI opere com 100% da funcionalidade, evitando que os seus funcionários fiquem com tempo ocioso e contribuindo também para a segurança do ambiente de TI da sua empresa.

 

Agora que você já sabe o que é DRaaS e como funciona o BCP para esta técnica, visite o site da 4infra Consultoria em TI – Suporte de TI para sua empresa (https://4infra.com.br/gerenciamento-e-monitoramento-remoto/) e confira agora mesmo as nossas soluções em DRaaS e gerenciamento remoto! Contamos com uma equipe técnica especializada e que poderá bem atendê-lo.

 

Quais são as vantagens do Disaster Recovery DRaaS?

 

 Uma vez que já falamos sobre os conceitos básicos do DRaaS, vamos falar agora sobre as principais vantagens que esta técnica em TI pode oferecer hoje para as pequenas empresas: benefícios como o BCP, o preço acessível para pequenas empresas e, além disso, a segurança da qualidade do ambiente de TI são alguns exemplos (https://www.acronis.com/en-eu/articles/disaster-recovery-plan/).

 

Mas antes de falarmos sobre as vantagens do DRaaS, devemos dizer que que há diferentes tipos de Disaster Recovery Plan, a saber: Network Disaster Recovery Plan. O qual ajuda o seu time de TI responder a uma interrupção não planejada do serviço de rede durante um “desastre”. Cloud Disaster Recovery Plan. Onde todos os sistemas e dados da empresa são feitos o backup para uma nuvem pública. Data Center Disaster Recovery Plan. Este tipo de plano exige que a sua organização configure uma instalação separada que é apenas utilizada quando um “desastre” acontece. Agora vamos falar sobre as vantagens:

 

 

Portanto, estas são algumas vantagens do DRaaS que a sua empresa de TI poderá se beneficiar com as soluções da 4infra Consultoria em TI – Suporte de TI para sua empresa, onde todo o monitoramento e suporte com o DRaaS é realizado pela nossa equipe técnica especializada em TI.

 

Quais são as desvantagens do Disaster Recovery DRaaS?

Agora que já falamos sobre as vantagens do DRaaS para pequenas empresas, vamos falar neste tópico sobre algumas desvantagens desta técnica. Deste modo, um ponto interessante que podemos citar são as regras de backup que levam as organizações a adotarem o modelo errado de DRaas.

 

Portanto, como uma desvantagem do disaster recovery (DR) plan são as regras do backup 3, 2, 1 que estipula 3 regras para que o plano do BCP possa ser implementado em pequenas empresas. Entretanto, estas regras garantem total proteção dos dados em um eventual “desastre” ao sistema. Confira:

 

 

Portanto, estas exigências do disaster recovery (DR) plan obrigam a empresa a providenciar estas três regras citadas acima, o que pode ter custos adicionais no começo da implementação do DRaaS. Mas fique tranqüilo! Os benefícios que listamos no começo deste artigo certamente superam as “desvantagens” para a sua pequena empresa.

 

Quais são as soluções e benéficos do Disaster Recovery DRaaS?

 

As soluções e os benefícios do Disaster Recovery DRaaS superam as “desvantagens” citadas no tópico acima, e podem proporcionar à sua empresa uma melhor performance do sistema durante um eventual “desastre”. Além disso, o DRaaS conta com sistemas de backup que são ideais para aplicação em pequenas empresas!

 

Portanto, o cloud disaster recovery (DR) plan é uma solução de TI que tem como benefícios o Cloud-based disaster recovery: o qual é a melhor opção em custo-benefício para a sua empresa. Com esta opção, um data-center em nuvem, por exemplo, é utilizado para armazenar sistemas críticos (sejam eles físicos ou virtuais), dados e aplicações da sua empresa.

 

Deste modo, uma outra vantagem do DRaaS (https://www.acronis.com/en-eu/articles/draas/) são os benefícios das soluções da Hybrid DR Cloud. Esta solução tem como objetivo a aplicação de um método que utiliza uma nuvem pública e um data-center privado, como, por exemplo, em um meio físico ou em nuvem.

 

Adicionalmente, o cloud disaster recovery (DR) plan é implementado com esta solução híbrida, o que fornece um excelente grau de flexibilidade, mantém os custos abaixo do esperado, e se adere à qualquer tipo de necessidades regulatórias e de compliance.

 

Portanto, podemos dizer que os benefícios do DRaaS para as pequenas empresas, são listadas em cinco grandes soluções: evita quedas de energia no local; evita a falha de hardwares e redes; evita erros de software e sistemas de TI; evita falhas no data-center local (não devido a queda de energia); protege os sistemas de TI em relação aos ataques à segurança.

 

Qual a importância de ter o Disaster Recovery DRaaS para pequenas empresas?

Como dissemos, a importância de ter o DRaaS para pequenas empresas está no fato de que elas podem adquirir esta tecnologia por um preço acessível de acordo com a quantidade de funcionários. Além disso, o DRaaS garante a segurança de todo o ambiente de Ti no caso de um eventual “desastre”.

 

Deste modo, todas as funcionalidades da empresa de TI em Belo Horizonte – BH poderão ser mantidas sem que maiores prejuízos ocorram aos servidores e também aos dados armazenados em nuvem! Tudo isso, a 4infra Consultoria em TI – Suporte de TI para sua empresa poderá proporcionar para o seu negócio!

 

Você conhece o OpsGenie? A ferramenta é uma central de TI que facilita a resposta de incidentes e auxilia as equipes no gerenciamento moderno de incidentes.

Incidentes e imprevistos em TI são responsáveis, muitas vezes, por perda de receita, impactos na reputação, baixa produtividade da equipe e pode levar inclusive a uma crise empresarial. 

Por isso, tão importante quanto evitar e prevenir incidentes é saber resolvê-los de maneira adequada e rápida. O OpsGenie surgiu para atuar em cima desses incidentes e facilitar o gerenciamento de TI.

O que é OpsGenie?

O OpsGenie é uma plataforma de gerenciamento de incidentes que tem como objetivo diminuir o tempo de resposta a incidentes, garantir com que a pessoa certa seja responsável pelo problema e evitar a fadiga do alerta.

Para que isso aconteça, o OpsGenie recebe alertas de sistemas de monitoramento e de aplicativos personalizados e categoriza os alertas por ordem de urgência. 

Em seguida, a plataforma notifica as pessoas certas por meio de vários canais de comunicação, como e-mail, SMS e até chamadas de voz. 

Quais são as principais funcionalidades da ferramenta?

O OpsGenie é uma ferramenta completa, que oferece diversas funcionalidades e pode ser usada para equipes de TI em diversos momentos das demandas. 

Por meio da funcionalidade “alertas”, o OpsGenie fornece a possibilidade de levantar incidentes diretamente da plataforma. Ele também cria um chat de incidentes, enviando mensagens-chave para a sua linha do tempo no Slack.

Além disso, monta um cronograma do tempo do incidente, enviando atualizações importantes para seu canal. 

Após cada incidente, a plataforma oferece um documento com insights retirados da linha do tempo do incidente. Isso facilita o aprendizado da equipe e previne erros!

Como utilizar o OpsGenie para monitorar incidentes de TI?

O OpsGenie é uma plataforma oferecida pela Atlassian Cloud e pode ser integrada com o Jira Software ou o Jira Service Desk. A plataforma fica disponível na nuvem, para que mesmo com sistemas inativos os incidentes possam ser notificados. 

A plataforma, após ser baixada, conectará o usuário ao Slack e ferramentas de notificação de incidentes, como o pagerduty. Essa integração facilita o cotidiano das equipes, já que o OpsGenie centraliza tudo em um único local, permitindo o rastreamento dos progressos de tarefas. 

Para utilizar o OpsGenie de maneira satisfatória, você sempre pode contar com uma equipe especializada, que montará um plano personalizado de TI para sua empresa. Assim, não há dúvidas e desperdícios: todas as soluções são programadas de maneira específica. 

Como a 4infra pode ajudar no monitoramento de incidentes com o OpsGenie

A 4infra Consultoria em TI pode oferecer suporte de TI para sua empresa e utilizar o OpsGenie para aumentar a produtividade da equipe, prevenir riscos relacionados à perda de dados e facilitar a resposta de incidentes. 

Com mais de 300 projetos finalizados e 20 anos de experiência, somos especialistas em gerenciamento do ambiente de TI. Por isso, dominamos as ferramentas necessárias para facilitar o monitoramento de incidentes e evitar que próximos erros ocorram. 

Para saber mais sobre o OpsGenie e aprender a monitorar incidentes em um único local, centralizado, agende um horário com um de nossos especialistas e não perca tempo! 

Você já ouviu falar no JIRA Software? A família JIRA, desenvolvida pela Atlassian, permite que times de TI trabalhem com foco em entregas ágeis.

Entre a família JIRA, estão o JIRA Service Desk, o JIRA Core e o JIRA Software. O Service desk é ideal para times de centrais de atendimento, enquanto o Core é desenvolvido para times de negócios.

Neste artigo, falaremos sobre o JIRA Software e sua importância e benefícios para as equipes de TI.

O que é JIRA Software?

O JIRA Software é um software pensado para o uso em metodologias ágeis, como o Scrum ou o Kanban. 

O software permite o gerenciamento de projetos e monitoramento de tarefas em um único lugar, garantindo o alinhamento entre a equipe e a execução das demandas.

O JIRA é um software que permite a flexibilidade nos processos de acordo com as necessidades de cada equipe. Além disso, ajuda a organizar o fluxo de trabalho e oferece relatórios gerados de acordo com o framework escolhido. 

Quais são os benefícios de utilizar o JIRA Software?

O software da Atlassian contribui em uma tarefa essencial para o desenvolvimento dos serviços: a organização e o gerenciamento de demandas.

Além disso, o JIRA conecta as equipes, oferecendo informações claras e práticas para todos. Isso auxilia o alinhamento e aumenta a sinergia entre os servidores.

Outra vantagem importante do JIRA é que ele permite que o gestor determine regras para os processos e impede que essas regras sejam desrespeitadas. 

Isso auxilia muito não só na condução dos serviços, mas também na motivação da equipe, que entenderá exatamente como dar seguimento a demanda e não perderá tempo com informações cruzadas.

A motivação da equipe dentro de um projeto pode parecer uma vantagem menor, mas é essencial. Equipes felizes com o trabalho e motivadas são produtivas e proativas. Isso é excelente, não é?

Além disso, o JIRA utiliza um velho conhecido de muitos para a organização do trabalho: os workflows. Os workflows, como já falamos neste artigo, são muito benéficos para otimizar processos. 

Relatórios e dashboards

Como saber se o trabalho está funcionando? Quais metas devem ser seguidas? Como implementar mudanças necessárias?

Para saber tudo isso e muito mais, a gestão de um projeto precisa se basear em dados objetivos. Tomadas de decisão amparadas em dados trazem mudanças mais efetivas e duradouras.

Por isso, o JIRA Software oferece relatórios já prontos e permite que você configure os seus próprios, de acordo com as métricas que fazem mais sentido para o negócio.

Já os dashboards são perfeitos para analisar o andamento dos métodos ágeis e identificar o que pode ser melhorado no processo.

Como utilizar o JIRA Software?

Qualquer time pode utilizar o JIRA Software. Em equipes de TI, entretanto, em que o alinhamento e a organização são essenciais, o JIRA é ainda mais importante. 

Para configurar o software e utilizá-lo da melhor maneira, você pode adquirir o programa em SaaS ou comprá-lo em Cloud. 

Também é possível comprar uma versão e auto-hospedar em um servidor próprio. Nesse caso, você deve buscar pelo chamado Jira Server. 

Em caso de dúvidas, você pode também contar com suporte especializado em infraestrutura de TI. A 4infra Consultoria em TI - Suporte em TI está disponível e pronta para oferecer um plano de prevenção e assessoria para sua empresa.

Quer utilizar o JIRA Software para otimizar seus processos? Marque um horário com um de nossos especialistas aqui! 

Em um cenário dinâmico de desenvolvimento de tecnologia e a Tecnologia da Informação ganhando cada vez mais espaço dentro das empresas, a virtualização de servidores aparece como opção para oferecer vantagens ao seu negócio.

A virtualização de servidores oferece mais praticidade aos processos, além de reduzir custos e aumentar o retorno sobre o investimento. 

O que é virtualização de servidores?

A virtualização de servidores é a criação de uma versão virtual de um sistema operacional, servidor ou sistema de armazenamento.

Consiste, basicamente, em dividir os recursos de um servidor físico (hardware) em servidores virtuais.

Isso permite a execução de muitos sistemas operacionais a partir de apenas um hardware, trazendo praticidade às operações.

Quais são os tipos de virtualização de servidores?

Existem três tipos de virtualização de servidores. São eles:

#1. Virtualização completa

O sistema de virtualização completa utiliza um hypervisor (um software que se comunica diretamente com o espaço em disco e a CPU do servidor físico). 

Com a virtualização completa, o hypervisor monitora os recursos do servidor físico e mantém os servidores virtuais de maneira independente e desconhecida pelos outros servidores.

A desvantagem, porém, é que a virtualização completa depende dos recursos de processamento do próprio hypervisor. Isso pode acabar desacelerando o desempenho do servidor.

#2. Paravirtualização

Ao contrário da virtualização completa, o sistema de paravirtualização de servidores envolve toda a rede como uma unidade coesa. Na paravirtualização, os servidores não são desconhecidos pelos outros servidores.

#3. Virtualização no nível do sistema operacional

Já na virtualização no nível do sistema operacional, o servidor não utiliza um hypervisor para executar tarefas.

O sistema funciona da seguinte maneira: o recurso de virtualização que faz parte do sistema operacional do servidor físico faz o papel do hypervisor e executa todas as tarefas. 

Para que a virtualização no nível do sistema operacional funcione, entretanto, todos os servidores virtuais precisam utilizar o mesmo sistema operacional. 

Quais são os benefícios da virtualização de servidores?

Utilizar um sistema virtualizado oferece alguns importantes benefícios para a empresa. O primeiro deles são os custos operacionais mais baixos, inclusive de energia elétrica.

Além disso, a virtualização reduz o tempo de inatividade do sistema. Isso evita perdas de produção, paradas não planejadas e perdas de dados. 

A virtualização também facilita o gerenciamento e a melhor utilização dos recursos disponíveis, otimizando os processos empresariais. 

Por fim, a virtualização oferece mais segurança nos dados, permitindo backups de maneira facilitada e mais seguros. Hoje em dia, a segurança dos dados empresariais é de extrema importância e pode tirar o negócio de enrascadas.

Por isso, investir em sistemas que facilitem o trabalho de armazenamento de dados é uma vantagem importante no ambiente de TI atual.

Por onde começar a investir em virtualização de servidores?

As vantagens são muitas, mas para quem ainda está aprendendo sobre o assunto implementar a virtualização de servidores no ambiente empresarial pode se confundir. 

O primeiro passo é analisar, conjuntamente com funcionários em posição de liderança, em como a virtualização pode ser útil no contexto do negócio.

Traçar um diagnóstico da situação atual e de quais objetivos pretendem ser atingidos com a virtualização também pode ajudar nesse momento. Afinal, para quem não sabe onde quer chegar, qualquer lugar serve! 

Decisão feita, é hora de implementar. Quem tem dificuldades de lidar com a virtualização de servidores pode contar com ajuda especializada!

A 4infra Consultoria em TI oferece suporte de TI para sua empresa. Por meio de planos personalizados de infraestrutura em TI, a 4infra trabalha na assistência e prevenção de riscos. É melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? 

Agende um horário com um de nossos especialistas aqui e comece já a traçar as mudanças no ambiente virtual de sua empresa!

Bons recursos de TI têm sido cada vez mais necessários no ambiente empresarial. Para manter a segurança e confiabilidade dos dados, algumas práticas podem ser úteis. É o caso do ITIL.

O ITIL, ou Information Technology Infrastructure Library (traduzido para o português como Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia da Informação), é um framework eficiente e referência para qualquer gestor em TI.

Por ser uma biblioteca, o ITIL é baseado em 5 livros diferentes. Esse grupo de recomendações abarca as áreas de infraestrutura, operação e manutenção de serviços de TI.

O que é ITIL?

A sigla ITIL se refere a um conjunto de boas práticas para operação, infraestrutura e suporte de TI. 

Suas práticas se dividem em 5 livros. São eles:

A ITIL define quais serão os objetivos e quais serão as atividades exercidas por cada processo. O objetivo deste framework é amadurecer os processos e otimizar os serviços de TI.

Quais são os benefícios de implementar o ITIL?

Entre os principais benefícios da adoção da ITIL estão a redução de riscos operacionais e a indisponibilidade dos serviços.

Além disso, com mais clareza nos processos, os custos se tornam palpáveis e permitem um planejamento estratégico com mais eficiência. 

Outra grande vantagem do Information Technology Infrastructure Library é que o framework é completamente adaptável e flexível.

Isso significa que você pode adaptar o processo às necessidades e estratégias da empresa.

Como o ITIL é aplicado nas empresas?

A biblioteca ITIL sugere a aplicação em cinco pilares. São eles:

#1. Ponto único de contato

O ITIL sugere a criação de uma central de serviços. Essa central será o único ponto de contato entre clientes e setor de TI dentro de uma empresa.

Essa criação permite a distribuição de demandas de maneira prática e facilita a comunicação entre infraestrutura de TI e usuários.

#2. Criação de níveis de suporte

Os níveis de suporte são criados para facilitar a organização dos chamados e auxiliar a equipe de suporte. Esses níveis são divididos por complexidade e nível de conhecimento necessário para que o atendente solucione o problema. 

#3. Base de conhecimento

A base de conhecimento centraliza o histórico dos chamados e as soluções possíveis, além de oferecer manuais e outras informações necessárias para a resolução de problemas.

Isso facilita a resolução de novos problemas e acelera o processo de tomada de decisão.

#4. Acordos de nível de serviço

Os acordos de nível de serviço são acordos firmados entre TI e clientes que preveem regras de atendimento conforme urgência ou prioridade do chamado.

#5. Melhoria contínua

Para evolução constante do processo, é importante ter em mente a necessidade de melhoria contínua dos processos e a avaliação e reestruturação do que for necessário.

Boas práticas de ITIL: como aplicar?

Algumas práticas de ITIL são boas ideias para otimização dos processos de TI e para melhoria dos serviços. 

Entre elas, estão a entrega constante de demandas para que seja possível aplicar a melhoria contínua nos processos.

Ter um método de trabalho organizado e reduzir os custos operacionais também facilita a estruturação do setor. 

Para implementar o ITIL da melhor maneira, é necessário customizar e integrar o framework de acordo com as necessidades da empresa. Personalizar as práticas é a melhor saída para não adotar processos desnecessários. 

Para isso, você pode contar com a ajuda da 4infra Consultoria em TI - Suporte de TI para sua empresa. A partir de um plano personalizado, nossos especialistas evoluem o gerenciamento do seu ambiente de TI e previnem riscos decorrentes do mau funcionamento. 

Com mais de 300 projetos finalizados, a 4infra está pronta para adotar boas práticas do ITIL em sua empresa. Agende um horário agora e saiba mais!

A infraestrutura de TI de uma empresa deve ser segura, forte e otimizada para auxiliar a empresa frente aos desafios de uma sociedade digital. Incidentes, porém, sempre ocorrem, e o monitoramento remoto de TI pode ajudar.

Qualquer infraestrutura está passível de erros ou de melhorias. Para que o sistema permaneça eficiente e forte, deve-se monitorar de perto a infraestrutura. 

Além disso, o monitoramento pode solucionar rapidamente imprevistos que surjam na infraestrutura. Isso ajuda a manter uma boa experiência ao cliente e reforça o desenvolvimento de atividades cruciais para o negócio. 

O que é monitoramento remoto?

O monitoramento remoto ou Remote Monitoring and Management (RMM) é a capacidade de acompanhar um processo, ativo ou pessoa à distância, por meio de uma conexão de um computador. 

Um exemplo de monitoramento remoto são as câmeras de segurança, que acompanham um local por meio de uma central de vigilância.

Em Tecnologia de Informação, é um conjunto de ferramentas de tecnologia da informação que são implantadas nas estações de trabalho e servidores.

Entre as ferramentas oferecidas pelo monitoramento remoto, estão o controle de ticket de serviços, monitoramento do ambiente de trabalho, suporte e informações ao usuário por meio de uma interface completa. 

O monitoramento remoto atua de forma preventiva e proativa a fim de manter o ambiente de TI estável e eficaz. 

Quais são os benefícios do monitoramento remoto de TI?

O sistema de monitoramento remoto oferece muitos benefícios para sua empresa. Entre eles, estão:

#1. Redução de custos

A instalação de um sistema de monitoramento ajuda a prever incidentes e corrigi-los antes que o problema cause prejuízos às atividades da empresa. 

Por isso, possuir monitoramento remoto em sua empresa ajuda a reduzir custos.

#2. Diminui prazos 

Instalações e atualizações de servidores podem, com o monitoramento remoto, serem feitas à distância. 

Isso traz mais praticidade para a infraestrutura, além de diminuir os prazos de serviços.

#3. Gerenciamento e administração remotas

Com o monitoramento remoto, todo o gerenciamento e administração da infraestrutura é feita de maneira remota, sem necessidade de deslocamentos.

Além de economizar custos, isso também traz mais praticidade e rapidez no gerenciamento. 

#4. Sistema de gerenciamento escalável

O sistema de monitoramento remoto de TI da 4infra permite que você administre o ambiente de sua empresa de maneira escalável.

Isso significa que não existirão barreiras para seu crescimento. É possível gerenciar e aumentar o sistema de gerenciamento à medida que sua empresa cresce. 

#5. Melhora do desempenho geral

Como resultado de tantos benefícios, o monitoramento remoto ajuda a melhorar o desempenho geral dos servidores e dos serviços. 

Por permitir o melhor aproveitamento dos recursos, o monitoramento remoto também ajuda a otimizar processos.

Como utilizar o monitoramento remoto de TI na sua empresa?

Para utilizar o monitoramento remoto na sua empresa, você pode contar com ajuda especializada. 

A 4infra Consultoria em TI - Suporte de TI para sua empresa possui profissionais competentes e especializados em oferecer ao cliente um plano personalizado de infraestrutura em TI.

O objetivo é prevenir riscos com sistemas de assistência e prevenção da 4infra, que te ajuda a gerenciar de maneira prática o seu ambiente de TI. 

A 4infra também oferece um sistema de gerenciamento e monitoramento remoto de TI, reduzindo custos operacionais e tempo de resposta à demanda de serviço.

Agende um horário e converse com um de nossos especialistas agora!

O desenvolvimento tecnológico hoje está presente no cotidiano diário de nossas vidas e muitas vezes acaba passando despercebido. É o caso do Machine Learning, área da inteligência artificial que permite executar diversas tarefas de maneira prática e automatizada.

Este método está presente no dia a dia de muitas pessoas e empresas e é bem possível que você já tenha se deparado com exemplos dessa tecnologia. 

Vale ressaltar que Machine Learning e Inteligência Artificial não são a mesma coisa. A inteligência artificial pode ser definida como a ciência que busca mimetizar comportamentos e aprendizados humanos em máquinas, enquanto o Machine Learning é uma das ferramentas utilizadas pela IA.

O que é Machine Learning?

Mas então, o que é Machine Learning? O aprendizado da máquina é um sistema que pode alterar comportamentos a partir de aprendizados passados, com pouca interferência humana ou mesmo sem ela.

Esse aprendizado acontece baseado no estabelecimento de regras lógicas que visam melhorar o desempenho de uma tarefa. Os sistemas utilizam um grande volume de dados para aperfeiçoar os comportamentos. 

Entre as abordagens conhecidas no Machine Learning estão o deep learning ou a aprendizagem profunda, onde grandes quantidades de dados são tratadas a partir de redes neurais artificiais compostas por algoritmos. Essas redes neurais são capazes de solucionar problemas complexos. 

Qual a importância do Machine Learning?

Com o Machine Learning, torna-se possível produzir de maneira rápida e eficaz modelos capazes de analisar um grande volume de dados e produzir soluções lucrativas e eficazes em grande escala.

O Machine Learning também melhora, muitas vezes, a experiência do cliente com o serviço ou produto e fortalece a segurança dos dados, já que diminui o risco de falha humana. 

Além de economizar recursos, esse método da Inteligência Artificial também soluciona necessidades empresariais de maneira prática, sem necessidade de grandes treinamentos ou tempo gasto.

Exemplos de ML no dia a dia 

Pode parecer fora da realidade diária, mas exemplos de Machine Learning povoam o cotidiano atual. Diversas empresas, de diversos segmentos, já utilizam esse método para aperfeiçoar os resultados e garantir mais segurança nos dados.

Alguns exemplos de setores que utilizam o ML são serviços financeiros, agências governamentais, operadoras de saúde, empresas de marketing e vendas, indústria de transportes e indústria de fontes de energia.

As atividades que utilizam o Machine Learning são muitas. Entre elas, estão:

É graças ao Machine Learning que plataformas de streaming como Netflix e Spotify conseguem oferecer recomendações personalizadas ao usuário. É também graças ao Machine Learning que aplicativos de transporte como Uber e Cabify determinam o preço da corrida, minimizam a rota e desvios.

Aplicações de ML também estão por trás de recomendações personalizadas oferecidas em anúncios online de acordo com pesquisas recentes ou interesses relacionados. 

Essa tecnologia aumenta as vendas online, melhora a experiência do cliente e facilita a retenção do usuário.

O desenvolvimento tecnológico permite até que o ML seja utilizado para desenvolver conversas artificiais que aprendam com interações anteriores para prever respostas e interagir de maneira mais natural.

Aqui na 4infra Consultoria em TI, estamos preparados para utilizar o Machine Learning para proteger os dados de nossos clientes e aprimorar os serviços empresariais. Por meio de um plano personalizado de TI que leve em conta as necessidades e objetivos da empresa, conseguimos atingir os resultados e manter a segurança dos dados, prevenindo crises e riscos. Entre em contato agora!

chevron-down