(031) 3195-0580
4infra

Diariamente, sites e páginas na web estão expostos a inúmeros riscos em relação a sua segurança e privacidade. Uma prática usada por criminosos virtuais são os ataques DDoS, um dos desafios de gestores de TI.

A prática, que também é conhecida como ataques distribuídos de negação de serviços, pode comprometer a segurança do sistema da sua empresa. Entenda como acontece esses ataques e de que maneira podem afetar sua empresa na publicação. 

Como funciona um ataque DDoS?

A partir de uma sobrecarga, acontece o ataque DDoS. Com várias requisições de acesso ao mesmo tempo a um site, essa ação tem a finalidade de abalar ou até mesmo de impossibilitar a entrada em uma página na web. 

Essa ação acontece da seguinte forma. Um criminoso faz inúmeras solicitações simultâneas para um site. Ou seja, se antes havia apenas 100 usuários acessando uma página, esse volume salta para as dezenas de milhares. 

Devido ao grande volume de entradas na página, alguns recursos do site são afetados. Por exemplo, o site tem problemas no processamento do servidor e até a obstrução da conexão com a rede. 

Esse grande volume de acessos coordenados nem sempre está associado a máquinas com bom funcionamento. Em muitos casos, são usados computadores infectados por algum programa malicioso, o que torna a máquina um zumbi. 

Assim, é preciso apenas que o criminoso escolha qual será a página atacada para, a partir disso, ordenar os milhares de acessos simultâneos. Os alvos comuns desses criminosos são cassinos online, lojas virtuais ou empresas que dependem de serviços online. 

O ataque acontece porque os servidores possuem uma quantidade limitada de solicitações de acesso ao mesmo tempo. Quando esse valor é maior que a capacidade, o site pode ter uma resposta mais lenta ou ignorar as solicitações dos usuários.

Os perigos do ataque DDoS

Essa ação criminosa já foi mais comum do que você possa imaginar e já fez inúmeras vítimas. Um dos casos famosos envolvendo essa atividade aconteceu na virada para 2016, com a corporação pública British Broadcasting Corporation, a BBC. 

O ataque sofrido pela rede derrubou os servidores do website por quase três horas. Além disso, aconteceram algumas sequelas na página que perdurou por alguns dias. Nesse ataque os websites hospedados pelo portal BBC, como o serviço de televisão, ficaram offline. 

Uma das principais dificuldades desse crime é conseguir identificar o autor dos ataques. Além de derrubar o servidor, a prática de DDoS pode deixar brechas que deixam a página mais vulnerável. 

Várias razões são atribuídas a esse tipo de crime. O sequestro de dados, que podem ser devolvidos apenas após o pagamento, ou até mesmo empresas concorrentes antiéticas. 

Vale destacar que qualquer página na web pode ser vítima desse tipo de crime. Por isso, é fundamental ter pessoas preparadas que saibam lidar com esse tipo de ataque que pode afetar  a segurança do site da sua empresa. 

A 4infra oferece serviços voltados para a segurança da sua empresa. Saiba mais e comece agora a proteger o site do seu negócio. 

Quando falamos de roubo de informações, provavelmente, a imagem que surge é de aparelhos sofisticados e grandes códigos. Entretanto, o rapto de dados pode acontecer de forma mais simples, como na engenharia social. 

A prática de engenharia social envolve técnicas de manipulação em que indivíduos passam informações confidenciais para criminosos. Em muitos casos, as vítimas repassam dados por acreditar que não são importantes. 

Existem diferentes tipos de informação que os criminosos procuram. Elas vão desde o repasse de senhas, dados bancários e até  o acesso a computadores pessoais. Nesse último caso, os criminosos instalam sem o consentimento da vítima software malicioso. 

Como funciona a engenharia social?

Em vez de testar senhas para acessar uma conta, os criminosos usam a confiança do usuário nessa prática. A partir dos dados cedidos, eles encontraram formas de invadir um sistemas ou roubar dados. 

Para isso, o infrator engana e manipula as pessoas. A partir disso, a vítima fornece informações. Por essa razão, é fundamental desconfiar de quem solicita o acesso a dados pessoais. 

Antes de passar qualquer informação, é importante questionar se, quem te pede aquela informação, é realmente a pessoa que você imagina. Casos envolvendo esquema de engenharia social são mais comuns do que imaginamos.

No ano passado, por exemplo, a empresária Barbara Corcoran, que participa do programa de televisão Shark Tank teve um prejuízo de quase 400 mil dólares. O golpe aconteceu quando um cibercriminoso fingiu ser o assistente de Barbara.

O criminoso usou técnicas de engenharia reversa e criou um e-mail semelhante ao da assistente de Barbara. Ele solicitou ao contador o pagamento de um imóvel.  A empresária só descobriu o golpe após o contador entrar em contato perguntando sobre a operação. 

3 golpes comuns que usam engenharia social

Para não ser vítima de um golpe, é importante observar o contexto que recebeu a mensagem, quem a enviou para depois tomar uma decisão. Para isso, te apresentamos algumas estratégias comuns aplicadas por criminosos e como evitá-las. 

Receber uma mensagem de fonte confiável 

Muitos golpes usam a prática de phishing, que é uma estratégia em que os criminosos virtuais imitam uma fonte confiável. Para isso, ele utiliza algumas técnicas como o endereço de e-mail de uma empresa confiável ou de uma pessoa próxima.

Mensagens te notificando de irregularidades, com layout semelhante ao da empresa, por exemplo, são algumas práticas adotadas por criminosos no phishing. Outra estratégia é o envio de mensagens ou e-mails que se assemelham à comunicação da instituição. 

Também é comum que os criminosos enviem mensagens notificando que você ganhou algum sorteio. Nesse caso, para resgatar o “prêmio”, é necessário ceder dados pessoais. Também é comum o pedido de doação de dinheiro para causas humanitárias ou desastres. 

Links e solicitação de dinheiro de amigos

A conta de uma pessoa próxima a você pode ser invadida por um criminoso.  Nesse golpe, o indivíduo pode te encaminhar links com softwares maliciosos ou até mesmo pedir dinheiro. Essa última prática tem acontecido em aplicativos como WhatsApp. 

Um amigo tem sua conta na rede social invadida por criminosos. Sem a pessoa saber, o infrator encaminha mensagens para os contato. O invasor pode, por exemplo, inventar uma história para sensibilizar os contatos de maneira que, ao pedir dinheiro, a pessoa encaminhe. 

Proposta ou informações que o usuário almeja

Além da invasão de contas, esse caso envolve a divulgação de produtos, serviços ou informações que o usuário busca no momento. Como uma isca, o criminoso pode usar, por exemplo, a possibilidade da pessoa baixar um filme ou até uma proposta com maneiras do usuário ganhar dinheiro de forma rápida. 

Para isso, os criminosos podem usar também outras ideias para atrair o usuário, como por exemplo, um remédio milagroso. Após clicar no banner, um malware pode ser baixado e, assim, a pessoa e outros indivíduos próximos podem sofrer golpes. 

Práticas para evitar golpes de criminosos

Para não cair nas armadilhas de criminosos, é importante prestar atenção aos detalhes. Antes de clicar em qualquer link, veja quem é o destinatário que te enviou a mensagem. Suspeite de mensagens encaminhadas com informações que você não solicitou.

Tenha atenção e cuidado antes de baixar qualquer arquivo. Caso não tenha solicitado nenhum dados ou não conhece quem te encaminhou a mensagem, é aconselhável você não baixar. Outra dica importante é desconfiar de mensagens de sorteios e prêmios que você não participou. Dessa forma, você estará mais protegido de golpes. 

Para as empresas, a 4infra oferece serviços de proteção de dados. Fale com nossa equipe aqui e saiba mais!

O uso de software pirata, infelizmente, ainda é muito comum. Na tentativa de economizar, muitas pessoas acabam se envolvendo em uma enrascada que pode comprometer toda a segurança da sua infraestrutura de TI.

Possuir um software licenciado faz toda a diferença em seu resultado final. Por ele, sua equipe de TI terá acesso a ferramentas que não teria se utilizasse a versão pirata do software escolhido. 

Mas se você já cometeu esse erro e quer reverter o problema, não se preocupe! Legalizar a licença do seu software é simples, rápido, e pode prevenir muitos problemas futuros.

Por que licenciar o seu software pirata?

Aqui na 4infra, prezamos sempre pela prevenção. Sabemos que o processo de recuperação de dados, por exemplo, pode trazer consequências devastadoras para o seu negócio.

Por isso, batemos na tecla: não utilize software pirata e inclua na cultura empresarial essa norma. Isso evitará muitos riscos futuros e pode prevenir situações de prejuízo e crises.

Uma das razões para licenciar o seu software é que a Microsoft tem, nos últimos tempos reforçado a fiscalização e aplicado pesadas multas caso o infrator não siga os passos de combate à pirataria decretados pela empresa.

Não é só por isso, entretanto, que recomendamos que você licencie seu software. Outras vantagens podem ser perdidas se você utilizar o software pirata.

#1. Segurança de dados

A segurança dos dados empresariais tem que ser, em seu setor de TI, uma das principais preocupações (se não a maior!). Isso porque vazamentos de dados comprometem não só toda a estrutura da empresa e o desenvolvimento das atividades, como também a imagem empresarial.

Com um software licenciado, a chance de vazamentos de dados diminui significativamente. O software pirata pode ser acessado mais facilmente por hackers, e com isso os dados estratégicos da sua empresa estão em risco!

#2. Mais suporte

Quem usa software pirata não pode reclamar: afinal, não tem a quem recorrer e está à própria sorte. 

Com o software licenciado, o fornecedor está à disposição para qualquer funcionamento inesperado do programa, e terá o dever de buscar a solução. 

O valor do suporte está, geralmente, incluso no valor da licença. Por isso, acaba valendo a pena pagar por esse valor e manter a segurança da infraestrutura. 

#3. Custos indesejados

Ser pego pirateando o software pode ter consequências bastante relevantes. Os custos de reverter o problema e arcar com dívidas e multas pode ser vultuoso, e o tiro pode sair pela culatra.

Lembre-se disso na hora de adquirir um software pirata: o que parece vantajoso agora, no futuro pode ser simplesmente uma dor de cabeça. 

Software pirata: o que fazer?

Licenciar o software pirata é simples. Basta entrar em contato com o fornecedor e solicitar a licença atualizada. Assim, você pode migrar as atividades de sua empresa com segurança para o software licenciado.

Outra saída é trocar o fornecedor. Caso você perceba que o software utilizado não está sendo de grande-valia, por que não substituir o provedor? 

Antes de tomar qualquer decisão, lembre-se: a 4infra está disponível para te ajudar! Somos uma empresa especializada em consultoria e suporte de TI, e prezamos pelo atendimento personalizado, focado nas suas necessidades.

Caso queira saber mais sobre como a 4infra pode reforçar a infraestrutura de TI de seu negócio abandonando de vez o software pirata, clique aqui! Você será bem atendido por um de nossos especialistas. 

Em se tratando de segurança cibernética, as ameaças se diversificam a cada dia. Existem dezenas de tipos de malware e vírus, e novos surgem a cada dia, prontos para adentrar nas brechas de segurança que sua empresa deixa. Hoje, vamos falar do ransomware, uma das formas mais prejudiciais de vírus que surgiu nos últimos anos.

Nos últimos anos o aumento de ataques de ransomware tem se tornado expressivos: em 2015, foram 25 mil por mês, enquanto em 2016 o número subiu para 56 mil ataques mensais. 

As consequências deste ataque podem ser desafiadoras para a empresa, já que o Ransomware impede o acesso a dados pessoais importantes. Na 4infra, acreditamos que o melhor remédio é sempre a prevenção.

Com alguns cuidados básicos, é possível prevenir os ataques de ransomware e fortalecer a segurança de sua infraestrutura de TI.

O que é Ransomware?

O Ransomware é um tipo específico de malware que possui como características ameaçar publicar, excluir ou impedir o acesso a dados pessoais importantes. Em troca, o vírus exige resgate financeiro das vítimas.

O invasor envia um arquivo para seu dispositivo que, se aberto, pode criptografar seus próprios arquivos e impedir o seu acesso à máquina. Os arquivos são mantidos sob resgate até que você pague para descriptografá-los. 

Quais são os principais tipos de ransomware?

Existem vários tipos do malware, mas todos possuem como característica principal a tentativa de extorsão. 

#1. Crypto

O Crypto rastreia seu computador em busca por dados que possam ser importantes, como documentos, imagens e PDFs essenciais.

Após criptografar os dados, exige resgate financeiro em dólar. Se o resgate não é pago em 48 a 72 horas, os dados são apagados. 

#2. Locker

Já o Locker não filtra por dados importantes, bloqueia tudo. O malware não permite que o usuário nem mesmo faça login no computador.

#3. Scareware

O Scareware também restringe o seu acesso a todos os seus dados, mas para que você pague o resgate, ele simula problemas na máquina e pede que você pague para que ele conserte. 

#4. Doxware

O Doxware, ao contrário dos outros, não apenas restringe o acesso a seus dados, como também ameaça disponibilizá-los online. Isso pode ser especialmente devastador para as empresas, mas também pode causar prejuízos severos para a vida de indivíduos comuns.

Como se prevenir de ataques de ransomware?

Se prevenir de ataques de ransomwares não é tão difícil como recuperar os dados vazados. Por isso, a dica de ouro é prevenir-se de ataques cibernéticos.

#1. Instale antivírus

Alguns programas antivírus são específicos para ransomwares e podem oferecer proteção mais robusta contra esses malwares. 

Não se esqueça também de manter os programas sempre atualizados e em suas versões mais recentes.

#2. Faça backup recorrente

O backup recorrente é uma estratégia simples, mas muito poderosa. Pode proteger seus dados mais importantes de ataque e mantê-los sempre em um local seguro. Falamos mais sobre ele aqui.

#3. Crie cultura de segurança empresarial

Em uma empresa, é difícil controlar as atitudes de todos os servidores. Por isso, mantenha um manual de boas práticas de segurança virtual e certifique-se de que todos os funcionários entendam a importância de se prevenir. 

#4. Conte com ajuda especializada

A 4infra é especializada em manutenção e segurança da infraestrutura de TI, prevenindo riscos e vazamento de dados. 

Você não precisa se preocupar com o ransomware - é só deixar com a gente! Oferecemos soluções na medida para sua empresa e consultoria e suporte de TI adequado às suas necessidades.

Quer saber mais sobre como a 4infra Consultoria em TI pode te ajudar a se proteger de brechas de segurança cibernética e ransomware? Marque um horário com um de nossos especialistas!

O setor de Tecnologia da Informação é, dentro das empresas, de função vital para a segurança dos processos e efetividade do negócio. Nesse cenário, entra em cena a compliance em TI. 

A TI oferece suporte à organização em relação a todas as operações que necessitam de tecnologia. Um setor de TI forte e qualificado oferece segurança aos dados, boas práticas informacionais e facilita as decisões estratégicas do negócio.

O compliance em TI fortalece a empresa e garante mais segurança nos dados, além de se ajustar às leis atuais do Brasil, evitando prejuízos jurídicos. 

O que é Compliance?

Antes de entendermos o Compliance em TI, precisamos resgatar o significado do termo. Compliance é, no âmbito jurídico e empresarial, um conjunto de práticas e disciplinas que tem como objetivo fazer cumprir normas legais e regulamentares.

O objetivo de implementar essas boas práticas é minimizar os riscos empresariais e manter o ambiente corporativo confiável e seguro. 

Compliance em TI

Na Tecnologia da Informação não seria diferente. Compliance em TI se refere à segurança dos dados e políticas de acesso e tecnologias anti-fraude que garantam a confiabilidade das informações.

O objetivo é manter a empresa sempre atualizada em relação a novas leis que surgem, como o marco civil da internet, a Lei Geral de Proteção aos Dados (LGPD), General Data Protection Regulation (GPRD) e leis de direitos autorais. 

É necessário que as empresas se adequem às normas de marcos regulamentadores de proteção e transferência de dados se quiserem evitar problemas jurídicos e garantir a clientela. 

Quais são as principais práticas de Compliance em TI?

Com o objetivo de se adequar a normas e leis, as práticas de Compliance buscam reforçar a segurança dos dados empresariais e evitar ataques de hackers. 

Reforçar a infraestrutura de TI e manter uma boa governança de dados também é essencial para as boas práticas de compliance. 

Outras práticas que podem ajudar são o monitoramento de dados contínuo, políticas voltadas para backups e VPNs e planos de crise em caso de vazamentos. Ter clareza em relação às diversas situações que podem ocorrer em relação a TI deixa os funcionários mais seguros e produtivos. 

Como implementar boas práticas de Compliance em TI?

O primeiro passo para implementar boas práticas de Compliance em Tecnologia da Informação é criar um setor responsável pelo assunto. Os servidores da área devem criar um manual de boas práticas acessível a todos os servidores, para garantir que toda a empresa fale a mesma língua.

A situação fica mais fácil se a empresa já seguir outras boas práticas em TI, como governança de dados, monitoramento e segurança na infraestrutura. Se ainda não segue, esse é um excelente momento para revolucionar os processos empresariais.

A partir do manual de boas práticas, a empresa adotará práticas de segurança e controle de dados alinhadas com as leis vigentes e marcos regulamentadores. 

Uma dica que pode facilitar o cotidiano empresarial na hora de implementar boas práticas de Compliance em TI é contar com um serviço de consultoria em TI, personalizado e preparado para atuar de maneira eficaz nas demandas que surgirem.

A 4infra Consultoria em TI oferece suporte para a sua empresa, realizando diagnósticos, consultoria, análise de projetos e até mesmo terceirização do seu setor de TI. 

Com anos de experiência no mercado, a 4infra pode adequar os processos de sua empresa às normas necessárias e manter a segurança de seus dados, utilizando a tecnologia a seu favor.

Para ampliar a sua performance, otimizar recursos e adotar boas práticas de compliance, entre em contato com a 4infra e solicite um horário! 

Ataques cibernéticos em serviços de nuvem são bastante comuns e podem causar danos significativos à segurança das informações empresariais. Segundo relatório da Sophos de 2020, “The State of Cloud Security 2020”, sete em cada 10 empresas já sofreram ataques em nuvem. Essa, entretanto, não precisa ser uma realidade da sua empresa. 

As principais fontes de ataques são via malwares, ransomwares e cryptojacking. Outras fontes de ataques cibernéticos vem de brechas de configuração nos serviços em nuvem e roubos de credenciais por phishing e falhas em engenharia social.

Se você utiliza serviços em Dropbox, Office e G Suíte, deve redobrar os cuidados, já que esses são os serviços de nuvem mais visados por hackers. 

O prejuízo causado por ataques cibernéticos não é apenas na reputação do negócio, mas sim financeiro. Com informações empresariais vazadas, o prejuízo chega a ficar na casa dos milhares de reais, comprometendo todo o orçamento da empresa e prejudicando o lucro. 

Ou seja, aprender a prevenir sua empresa de ataques cibernéticos em nuvem é essencial para o bom andamento do negócio. De nada adianta os resultados de vendas serem expressivos se os gargalos de segurança afetam a performance da empresa. 

Fatores que facilitam ataques cibernéticos

O relatório da Sophos também aponta que as principais falhas de segurança vêm de dentro da empresa. De acordo com o levantamento, 91% das empresas não segmentam a escolha de privilégios dos usuários, o que pode contribuir para os ataques.

Além disso, a maioria dos negócios não criptografa os dados, serviços de armazenamento e banco de dados. A criptografia consiste na construção e análise de protocolos que reforçam a segurança de comunicações. 

Dados criptografados são bem mais seguros e difíceis de serem vazados. Hoje em dia, grandes empresas já utilizam a criptografia para garantir a segurança de suas informações privadas. É o caso, por exemplo, do WhatsApp. 

Outro fator que facilita o trabalho dos hackers é que grande parte dos colaboradores das empresas não ativam a identificação de dois fatores de seus logins. Isso facilita o acesso a todas as plataformas e o risco à segurança é dobrado. 

Como prevenir ataques cibernéticos na nuvem? 

Você já percebeu que para garantir a segurança das informações de sua empresa é preciso dificultar o trabalho dos hackers. 

Para começar, é ideal fazer uma análise diagnóstica da empresa e identificar se ela está realmente segura contra ciberataques. Com o diagnóstico feito, é possível buscar melhorias e reforçar a segurança como um todo. 

O trabalho de dificultar o trabalho dos hackers começa dentro da empresa, com treinamento dos colaboradores e boas práticas de segurança de dados. Algumas dicas podem ajudar a prevenir falhas nas nuvens:

Você também pode contar com a ajuda de especialistas, que farão um diagnóstico na segurança dos dados e buscarão as melhores soluções para evitar ataques cibernéticos na nuvem.

Contar com suporte especializado poupa tempo, energia e dinheiro. Fica mais fácil tomar decisões assertivas e que realmente atuarão no problema. 

A segurança de seus dados é coisa séria. Por isso, conte com a 4infra Consultoria em TI. Nossos profissionais estão prontos para atender às suas necessidades de maneira personalizada.

Com seus dados seguros, você pode se concentrar em otimizar a performance empresarial, trabalhar com mais estratégia e praticidade e economizar recursos. 

Entre em contato e agende um horário para conhecer nossos serviços agora! 

Vivemos na era da informação e, com um imenso tráfego de informações no dia de hoje, é essencial que a criação, coleta e uso de dados seja regulamentada, de forma a manter a segurança das informações. A governança de dados pode ajudar. 

Vazamentos podem ocorrer, e vazamentos de informações dos clientes podem causar grandes crises dentro de uma corporação. Recentemente, um grande vazamento aconteceu no Brasil, e as consequências dele para os clientes pode ser enorme, além de afetar a reputação da empresa.

A governança de dados é uma gestão que tem como objetivo estruturar, organizar e usar os dados da empresa de forma estratégica. Um dos focos da governança de dados é garantir que a propriedade intelectual da empresa permanecerá dentro dos limites da corporação.

Uma boa governança de dados inclui processos, recursos humanos e tecnológicos, e deve contar com um manual de boas práticas. Esse manual deve estar disponível para todos os funcionários da empresa, para que todos saibam como agir frente ao gerenciamento de dados do negócio.

Vantagens da governança de dados 

A governança de dados bem feita traz agilidade nos processos e segurança para a empresa, além de ajudar os gestores a tomarem decisões estratégicas. Essa praticidade é importante pois com informações claras baseadas em dados reais tomadas de ação mais direcionadas podem ser feitas. 

Além de mais agilidade nos processos, a governança bem feita os torna mais eficientes e tarefas operacionais são automatizadas. 

É essencial também que a empresa aja em conformidade com as leis do país, como o marco civil da internet e as leis de proteção GDRP e LGDP, e mantenha o aspecto jurídico sempre muito transparente e em ordem. 

Outra vantagem importante a ser considerada é que empresas que investem em governança de dados possuem maior competitividade, já que não costumam ter informações vazadas para os concorrentes. 

Bons resultados também aumentam o engajamento dos colaboradores. Com a alta rotatividade de talentos, é essencial manter os funcionários motivados e engajados nos objetivos da equipe. Por isso, processos eficazes e transparentes possuem um papel chave na motivação do público interno.

Quais são as boas práticas de governança de dados?

Como implementar a governança de dados com sucesso? Algumas práticas podem ajudar.

#1. Infraestrutura

O primeiro passo é fazer um diagnóstico da infraestrutura da empresa. O que é necessário incluir para que o negócio consiga dar suporte à governança de dados?

#2. Estratégia

Não é possível fazer nada sem estratégia. Por isso, após identificar os gargalos da infraestrutura e identificar os maiores desafios, passe a buscar soluções estratégicas e tecnológicas para as necessidades encontradas.

#3. Identifique os setores responsáveis pelo gerenciamento de dados

Quais setores da empresa geram dados? Quais são as equipes que mais podem se beneficiar de práticas de governança de dados? Como as soluções estratégicas definidas podem auxiliar esses setores?

Responder a essas perguntas é fundamental para o início das práticas. O ideal é que os gestores de cada setor se responsabilizem pelas definições, mas que elas sejam claras para todos os servidores. A governança deve fazer parte da cultura da empresa. 

#4. Valorize os dados disponíveis

Defina quais são os dados essenciais para a empresa e como eles devem ser gerenciados e mantidos em segurança. Faça uma escala de prioridades e aprenda a priorizar aqueles mais urgentes. 

Também defina quais equipes podem acessar quais dados e quem ficará responsável por cada um. Além de manter as informações mais seguras, também permite rastrear com facilidade a origem de um eventual problema. 

#5. Avalie a estratégia

De nada adianta manter os dados em segurança se não é possível medir o sucesso da estratégia. Monitore regularmente os resultados para traçar novos objetivos e diagnosticar etapas de sucesso e pontos de melhoria.

Além dos pontos de melhoria, entender as etapas eficazes na estratégia é essencial para dar continuidade ao projeto e manter os colaboradores engajados. Ninguém gosta de escutar apenas notícias ruins, não é mesmo? 

#6. Não tenha medo de mudar de caminho

Se identificar que a estratégia da empresa não está funcionando da maneira que devia, não tenha medo de mudar de caminho. Bem sucedido é quem tem posturas resilientes e aprende com os erros.

Com o tempo, as práticas que mais funcionam para sua empresa ficarão mais claras e mais fáceis de implementar. Enquanto isso, entenda que a flexibilidade é habilidade essencial para qualquer negócio.

Manter uma boa governança de dados é tarefa essencial para o bom andamento da empresa em diversos âmbitos. Com processos mais definidos e claros, todos os setores só têm a se beneficiar e os resultados não demorarão a vir.

O gerenciamento e monitoramento de dados tem se tornado cada dia mais importante. Com a quarentena forçada causada pela pandemia de Covid-19 e a transferência dos negócios corporativos para o ambiente doméstico, a atenção e cuidado com as informações fica ainda mais essencial. 

Ninguém gostaria de perder os dados coletados com tanto empenho, não é mesmo? Com os funcionários em home-office, pode haver menos centralização de informações e, por isso, menos segurança no controle dos dados.

O home-office também veio para reestruturar muitos processos empresariais, principalmente na área de TI. Os desafios são muitos, e cada empresa pode enfrentá-los de maneira diferente. Eles não podem, entretanto, ser ignorados. 

O desenvolvimento da infraestrutura de TI da empresa traz diversos benefícios para a corporação. Além de mais segurança e praticidade no gerenciamento de informações, o monitoramento de dados também pode trazer vantagens estratégicas para o negócio. 

Por que monitorar dados?

Uma empresa com um bom monitoramento de dados é competitiva e toma melhores decisões. O monitoramento pode revelar problemas ocultos e dar clareza aos processos, facilitando a correção dos desempenhos. 

Ao monitorar os dados disponíveis, fica mais fácil identificar os problemas e agir rapidamente e com eficácia. Empresas que desprezam o monitoramento frequentemente gastam muito tempo, energia e dinheiro buscando a solução ideal para um problema que poderia ter sido previsto. 

Monitorar dados também ajuda a verificar o desempenho de equipamentos e reduzir o desperdício, trazendo mais economia para a empresa. 

Os indicadores do negócio também devem ser atentamente monitorados. Só assim é possível reformular estratégias e tomar decisões com eficácia e assertividade.

A clareza nos processos internos e externos da empresa, então, facilita no conhecimento do negócio, no entrosamento entre servidores e na resolução de problemas.  

Começar pode não ser tão fácil, principalmente se a área de TI ainda não está plenamente desenvolvida ou enfrenta muitos gargalos. Algumas dicas podem ajudar.

Como começar a monitorar dados?

Antes de definir as práticas de monitoramento utilizadas, é necessário identificar quais são os dados a serem monitorados e onde eles estão localizados. Nessa etapa, busque entender quais são os desafios a serem enfrentados e onde estão os gargalos da empresa. 

Com o volume de dados definido, o próximo passo é buscar um software adequado aos desafios do negócio. Atenção: o ideal é que o software se adeque às necessidades da sua empresa. Por isso, identifique o tempo de atualização das informações. 

Para dados que precisam ser atualizados imediatamente, é preciso que o software possua essa capacidade. Já se isso não é necessário, a atualização pode ser feita periodicamente, como diariamente ou mesmo de hora em hora, se necessário. Conhecer as suas necessidades é essencial!

Para um monitoramento de dados bem feito, é possível contar com a ajuda da 4infra, que oferece suporte e consultoria de TI para sua empresa. 

A 4infra possui um sistema de gerenciamento e monitoramento remoto da infraestrutura. Além de ser uma ferramenta segura e eficaz, por ser remota, também é mais econômica e prática.

O sistema de monitoramento de dados da 4infra também é escalável, já que permite o aumento no sistema de gerenciamento de acordo com o crescimento do negócio. Não coloque limites ao seu negócio! 

Para começar a monitorar os dados da sua empresa de forma eficaz, conte com a 4infra. Solicite sua consultoria e não deixe de desenvolver já o setor de TI da sua empresa! 

A segurança de dados, pessoais ou empresariais, é essencial nos dias de hoje. Ser vítima de hackers pode ser bem assustador, já que usamos o celular e o computador para quase tudo. É possível se defender e prevenir dos ataques, mas o que fazer quando eles já aconteceram? (mais…)

Investir em Segurança da Informação é a chave para o sucesso de qualquer empresa. Observe a quantidade de dados que são manipulados diariamente e o quanto eles são valiosos para a organização. (mais…)

chevron-down