Como as empresas podem contribuir para evitar o burnout

Como as empresas podem contribuir para evitar o burnout

Uma das características pelas quais os millennials (geração X) se tornaram conhecidos, vai além dos gostos que as novas gerações consideram ultrapassado: o burnout.

Essa relação da Síndrome do Esgotamento Profissional, ou simplesmente, Síndrome de Burnout, é um retrato do que os profissionais dos mais diversos setores vêm enfrentando no cotidiano de trabalho.

Apesar da síndrome ter se tornado popular, com amplos debates ao redor do globo, é preciso também entender como as empresas podem atuar a favor da saúde dos seus colaboradores.

Mas, antes disso, é preciso entender o que é a Síndrome do Burnout e como ela afeta as pessoas.

O que é a Síndrome do Burnout?

Burnout vem do inglês burn, que significa queimar e out, que é fora. Como uma única palavra, burnout significa esgotamento.

A Síndrome do Esgotamento Profissional, por sua vez, é caracterizada por um distúrbio emocional que traz sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico.

Resultado de situações de trabalho que são desgastantes e que demandam extrema responsabilidade e competitividade, sua causa principal é o excesso de trabalho.

Assim, é comum que ela ocorra em profissionais que trabalham sob pressão frequente, com muitas responsabilidades e sob objetivos difíceis ou inalcançáveis.

A pessoa que está com a síndrome tem sofrimentos psicológicos intensos, como nervosismo constante, problemas físicos como dores de barriga, cansaço excessivo e tonturas.

Para entender mais sobre como o Burnout se manifesta, elencamos seus principais sintomas:

  • Cansaço excessivo, físico e mental e fadiga;
  • Dor de cabeça frequente e dores musculares;
  • Alterações no apetite;
  • Insônia;
  • Dificuldade de concentração;
  • Sentimentos de fracasso, insegurança, incompetência, derrota e desesperança;
  • Alterações repentinas de humor e negatividade constante;
  • Isolamento;
  • Pressão alta;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.

Como geralmente esses sintomas não são tratados ou o são apenas de forma paliativa, a tendência é que continuem a se agravar.

Por isso, é essencial buscar ajuda médica ao constatar sintomas para que seja feito um diagnóstico preciso.

Nesse sentido, apesar do tratamento ser individualizado para o paciente, retornar ao mesmo ambiente de estresse do trabalho costuma não ser favorável à recuperação do paciente.

Muitas pessoas, então, tendem a rever seus empregos e a forma como lidam com a carreira. Buscam novos empregos, carreiras e optam até mesmo por cargos nos quais não terão o mesmo proveito financeiro, mas ganharão em qualidade de vida.

Em consequência, o quadro para a empresa que não possui um ambiente saudável é o de adoecer seus colaboradores, não reter talentos e ter perdas que vão além do quadro de pessoal.

Uma empresa com colaboradores sobrecarregados, trabalhando apenas para apagar incêndios e atender a urgências, com objetivos irreais e tarefas exaustivas e repetitivas tende a perder também em produtividade, qualidade e lucratividade.

Como as empresas podem atuar na prevenção da Síndrome do Burnout?

Pensando nisso, as empresas precisam se tornar aliadas na prevenção do burnout tratando, efetivamente, as causas que o geram nos colaboradores.

Quando falamos na causa de excesso de trabalho e responsabilidades, um caminho que tem sido adotado é o de entender que os setores precisam de mais funcionários.

Contudo, essa não é uma resolução válida e realmente eficaz, já que apenas redistribui os problemas que existem na empresa. E, em alguns casos, sobrecarregam setores com um número de colaboradores superior ao que o local suporta.

É preciso então, atuar no foco de cada problema, questionando, por que meus colaboradores estão sobrecarregados? O que não está funcionando como deveria?

Como os prazos podem ser mais confortáveis? Como não cultivar um ambiente tóxico? Quais ações podem ser feitas em prol da saúde e bem-estar das equipes?

A partir disso, é possível traçar algumas estratégias para a empresa atuar na prevenção do Burnout, as quais destacamos a seguir.

Lidar com a Cultura da Produtividade

Empresas com culturas focadas na produtividade acima de qualquer coisa são propensas a desenvolverem ambientes tóxicos, com competitividade desleal e pensamento individualista e não em equipe.

Por isso, o trabalho humano, que tem limites, não pode ser menos importante que a busca por objetivos e metas do negócio. É preciso equilíbrio.

Flexibilidade nas Rotinas

Rotinas híbridas, tanto em termos de horário quanto de local de trabalho já são uma realidade em vários setores e empresas.

Compreender as possibilidades que melhor se adequam aos colaboradores assim como para o negócio, traz mais produtividade e contribui para um ambiente mais saudável.

Educação e Capacitação para Lideranças e Equipes

É importante abrir espaço para o diálogo dentro da empresa e as lideranças são as portas de entrada para um ambiente proativo, saudável e com espaço para escuta e mudanças.

Uma das chaves para isso é o alinhamento entre o setor de RH e o estabelecimento de educação emocional para lideranças, que podem reconhecer sinais do burnout em membros da equipe e precisam saber como agir.

Do mesmo modo, é possível abrir espaços de acolhimento e apoio psicológico para os colaboradores, que precisam ver a ajuda como algo positivo, para não se sentirem expostos ou constrangidos por precisar ou procurar ajuda.

Entender os Gargalos Cotidianos dos Processos de Trabalho

Não adianta oferecer suporte psicológico, horário flexível e continuar sobrecarregando os funcionários, sem entender quais aspectos da rotina de trabalho precisam ser reestruturados.

Por isso, é necessário fazer um mapeamento dos processos de trabalho, identificar as tarefas repetitivas que oneram os colaboradores e quais fluxos podem ser otimizados e automatizados.

Aqui, a tecnologia é uma importante aliada na melhoria dos processos. Mais do que focar em produtividade, ela pode proporcionar ferramentas que permitem a redução de tarefas repetitivas, facilitação de processos, diminuição de erros, eliminação de gargalos, melhoria da comunicação e alívio da carga de trabalho.

Sabemos que não é tarefa fácil sair da cultura da produtividade, mas aliar a tecnologia ao cotidiano dos colaboradores é permitir um ambiente menos propenso ao estresse e à sobrecarga.

Para isso, você pode contar com a parceria da 4Infra, trabalhamos com soluções capazes de agregar a tecnologia à sua empresa que contribuem para um ambiente mais seguro e saudável.

Entre em contato conosco, nosso time especializado está pronto para apresentar soluções eficazes e personalizadas para o seu negócio!

Esse texto foi criado pela redação da 4infra.
20 de fevereiro de 2023

Próximos Artigos
Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este artigo

Assuntos Relacionados
Voip: o que é e como funciona | Telefonia VoIP | 4infra
30 de novembro de 2023
Conceitos fundamentais de banco de dados
29 de novembro de 2023
Wi-Fi 6 vs. Wi-Fi 6E: entendendo as diferenças
27 de novembro de 2023
Protocolos de segurança Wi-Fi: o que precisamos saber sobre isso?
24 de novembro de 2023
1 2 3 153

chevron-down