(031) 3195-0580
4infra

Remote hands: entenda seus impactos

Remote hands: entenda seus impactos

Com a pandemia de covid que se alastrou por todo mundo, a preferência por serviços remotos e com pouco contato aumentou. Pela necessidade de distanciamento social, empresas começaram a optar por esse tipo de serviço remoto.

Alguns recursos importantes para o bom funcionamento de um empreendimento, como os centros de processamento de dados, os data center, precisam de manutenção. 

Com o intuito de diminuir a preocupação em relação ao bom funcionamento desta infraestrutura da empresa, sem expor funcionários a riscos, existe o remote hands. Usado para dar suporte a distância ao data center, essa solução gera impactos positivos. 

O que é e como funciona o remote hands?

Solução usada por data center de todo o país, o remote hands funciona a partir de uma dinâmica de atendimento virtual. Nele, o técnico realiza os ajustes nas configurações da rede, por exemplo, de forma remota, sem ir até o local. 

Dessa forma, operações ligadas a análise de relatórios de indicadores da máquina, o processo de reiniciar o sistema, tudo isso pode ser feito de forma remota. 

Assim, o técnico não precisa entrar no ambiente físico onde o centro de processamento está hospedado. Além dessa forma de atuação, alguns servidores que usam esse serviço adotam o sistema Colocation. 

Escolhido por empreendimento que deseja investir em tecnologia da informação, o Colocation é uma solução mais acessível para diversos negócios. Isso porque manter uma estrutura de data center dentro de um local da empresa, pode gerar custos altíssimos. 

Nesse cenário, o sistema colocation aparece como uma boa opção. Nele, o servidor da empresa é transferido para um data center especializado, o que viabiliza essa operação. 

No caso das empresas que adotam o sistema colocation, é possível adotar outras formas de atuação dos técnicos do setor. Nesse caso, a equipe que trabalha com administração e manutenção dos centros de processamento será responsável pelos ajustes. 

Para isso, a empresa contratada pode realizar desde pequenos ajustes na máquina, como desligar e ligar um servidor, por exemplo, até mudanças maiores. A troca de discos do servidor é outro tipo de ajuste que o remote hands oferece nos colocation. 

Dessa forma, a empresa não precisará arcar com o deslocamento da equipe interna de tecnologia para fazer reajustes até a sede do data center. Isso porque essas mudanças serão possíveis com atendimento com a instituição responsável por manter o espaço. 

Uma das vantagens dessa forma de trabalho está relacionada à segurança do próprio hardware. Esse fenômeno irá acontecer já que o número de pessoas que terão contato com equipamentos importantes para a empresa será menor. 

Ou seja, apenas a equipe capacitada do local será responsável por manter e cuidar de toda estrutura. Além disso, não existirá custos ligados ao deslocamento de equipe de tecnologia até o local onde o centro de processamento está instalado. 

Para quem deseja adotar o suporte terceirizado remoto para economizar tempo e recurso, diversas empresas atuam nessa área. A 4infra possui uma equipe especializada capaz de oferecer todo suporte que seu negócio precisa. 

Entre em contato com nosso time de atendimento e saiba como nossas soluções podem melhorar seu negócio!


8 de setembro de 2021

Próximos Artigos
Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este artigo

Assuntos Relacionados
Vantagens de usar o Sharepoint para servidor de arquivos
8 de novembro de 2021
Como fazer backup para Microsoft 365?
5 de novembro de 2021
Dicas para otimizar o Microsoft 365 em pequenas empresas
3 de novembro de 2021
5 razões para investir em Fortinet
1 de novembro de 2021
1 2 3 119
chevron-down